segunda-feira, 21 de abril de 2008

Necroturismo

Mateus 3:1-10

É melhor ir a uma casa onde há luto do que a uma casa em festa, pois a morte é o destino de todos; os vivos devem levar isso a sério (Ec 7.2)!

Um novo ramo de turismo está se abrindo. É o turismo a cemitérios. Ir a cemitérios não é uma coisa nova, mas o que impressiona é a sofisticação deste novo tipo de visitas. Chega a ponto de grandes restaurantes se instalarem na porta dos cemitérios para atender o alto número de visitantes. As empresas de turismo fornecem vários roteiros de visitas. Uma agência tem a seguinte propaganda em seu site: “Venha descobrir este excepcional cemitério. Diversos personagens famosos descansam nesse lugar, rodeado de mistério e marcado por uma vegetação onipresente. Oferecemos mais de 20 diferentes roteiros temáticos para visitar o local e conhecer suas personalidades. Venham sonhar e se surpreender frente aos túmulos. Visite, faça no seu próprio ritmo, e deixe-se embalar pela magia do local, fazendo a visita em duas fases. O mais difícil será escolher em qual dos lados começar”.
Fico impressionado como o comércio não tem limites, atingindo até as áreas mais improváveis. Também é triste pensar que muitos fazem esse turismo numa forma de tentar conseguir auxílio de algum morto famoso. Mas algum proveito teria este tipo de turismo? O que nós, os vivos, temos que meditar em relação aos mortos? É certo que não devemos, nas próximas férias, buscar uma destas agências, mas também não devemos viver como se os cemitérios existissem apenas para enterrar os outros, viver como se a morte e o luto não existissem.
Algumas vezes é preciso deixar as festas partindo para o arrependimento, frear o ritmo endireitando o caminho. Viver com moderação e não em uma tranqüilidade ímpia e cega. Ir a um cemitério pode ser melhor do que ir a uma praia, se nos fizer melhor ao coração, se nos fizer pensar melhor que o fim de todos os homens é da mesma forma, se nos fizer considerar a necessidade de produzir frutos durante a vida.

Lagrimas nos olhos podem fazer bem ao coração.