segunda-feira, 21 de abril de 2008

Servo acabativo

Josué 24.14-22

Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos (Mc 10.45).

Gostaria que você pudesse refletir sobre a diferença entre o iniciativo e o acabativo. Nossa tendência natural é ser iniciativo, temos uma visão das necessidades e partimos para a ação, mas, logo percebemos que existe uma distância entre planejar e praticar. Assim muitos projetos são abandonados e esquecidos. Existe um tipo pior de iniciativo, aquele que enxerga as necessidades e critica por que ninguém ainda não fez nada por aquilo, mas ele nunca faz nada além de ter uma grande visão do que deve ser feito.
Para uma vida melhor precisamos ser servos. Você precisa aprender a ser acabativo: aquele que se empenha em uma obra não importando o que vai lhe custar; aquele que quer ser útil, por isso ama o trabalho do Senhor e não está preocupado com as dificuldades e problemas para conquistar seu alvo. Ele sabe os desafios que deverá enfrentar e toma o trabalho como um ministério, dedicando-se com amor.
É tempo de trabalhar, de se envolver com a obra de Deus e com as pessoas. Precisamos participar mais, contribuir mais, orar mais, sorrir mais, louvar mais.
Sigamos o exemplo de Jesus que veio a este mundo para servir mesmo sendo Ele Filho de Deus. Precisamos decidir mais e principalmente ir até o fim quando começamos alguma obra, cumprir nossa palavra custe o que custar e quanto custar. Conta-se que um milionário estava muito doente no seu leito da enfermidade e seu pastor lhe falou sobre o poder que Deus tem para curar enfermidades. “Pastor”, disse ele, “se Deus me curar desta situação eu darei um milhão de dólares para a igreja.” Miraculosamente o homem ficou curado e dentro de algumas semanas saiu do hospital. Alguns meses mais tarde ele conversava com o pastor na calçada em frente a uma loja quando o pastor lhe recordou da promessa feita. “Eu disse isso?” Perguntou o milionário. “Isso mostra o quanto eu estava doente!”

Ação é sempre melhor do que apenas intenção.