terça-feira, 14 de junho de 2011

Áudio MP3 - 12/06/2011

Pregação na Igreja Presbiteriana Central de Ceres
Rev. Hebert dos Santos Gonçalves
Tema: Vencendo no deserto
Texto: Gênesis 26.1-6, 12-13
Download do arquivo aqui
Veja abaixo o rascunho do esboço usado







SÉRIE: Escola Chamada Deserto

Dia 12/06/2011

Genesis 26:1-6 
1 Sobrevindo fome à terra, além da primeira havida nos dias de Abraão, foi Isaque a Gerar, avistar-se com Abimeleque, rei dos filisteus.  2 Apareceu-lhe o SENHOR e disse: Não desças ao Egito. Fica na terra que eu te disser;  3 habita nela, e serei contigo e te abençoarei; porque a ti e a tua descendência darei todas estas terras e confirmarei o juramento que fiz a Abraão, teu pai.  4 Multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus e lhe darei todas estas terras. Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da terra;  5 porque Abraão obedeceu à minha palavra e guardou os meus mandados, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis.  6 Isaque, pois, ficou em Gerar.
Genesis 26:12-13
 12 Semeou Isaque naquela terra e, no mesmo ano, recolheu cento por um, porque o SENHOR o abençoava.  13 Enriqueceu-se o homem, prosperou, ficou riquíssimo;

Escola Chamada Deserto

Vivemos em um mundo mal. O pecado tirou a estabilidade da vida. Estamos sujeitos ao sofrimento.

Esta é uma afirmação verdadeira da qual fugimos

O deserto é parte da caminhada rumo à terra prometida.

O que distingue um vencedor neste mundo de desertos daqueles que são vencidos não são as circunstâncias.

A crise chega para todos. A diferença está na atitude com que cada um enfrenta a crise.

Guarda o marinheiro do violento mar ou no violento mar...

Como nos preparamos para o deserto, como agimos no deserto.

A experiência de Isaque nos tras grandes ensinos sobre como enfrentar os desertos.

A crise foi um tempo de oportunidade na vida dele. Em vez de se desesperar, ele seguiu a direção de Deus e triunfou num tempo em que todos estavam fracassando. 

Gênesis 26

1. No deserto precisamos seguir obedecendo a Deus

Isaque também está enfrentando uma crise.  A fome assola a sua terra.

Gênesis 26.1 Sobrevindo fome à terra, além da primeira havida nos dias de Abraão...

O que fazer na hora em que os problemas acontecem?

Isaque queria fugir da crise, não enfrentá-la.

Isaque queria ir para o Egito, queria fugir para um lugar de fartura, riqueza e segurança.

As vezes queremos fugir tomando um caminho mais fácil

Muitos fogem das crises nas drogas, no alcool, no sexo, na desonestidade, na mentira, na falsidade

Tomar uma aspirina, doril e a dor sumiu – Não queremos ir ao médico...

Muitas pessoas fracassam na vida exatamente porque na crise deixam de atender à voz de Deus e descem para o Egito.

No Egito onde negociam seus valores absolutos, transigem com suas consciências e tapam os ouvidos para não atenderem à voz de Deus.

Porque Isaque obedeceu a Deus ??

2. No deserto precisamos confiar em Deus
Ele Confiou em suas promessas.

Deus acalma o coração de Isaque dizendo-lhe:
"Eu estou contigo. Seu futuro está nas minhas mãos

Farei de você e da sua descendência uma bênção para o mundo".

Gn 26.2-3 "Não desças ao Egito. Fica na terra que eu te disser;  habita nela, e serei contigo e te abençoarei"

Gn 26.6 Isaque, pois, ficou em Gerar.

Uma presença consoladora

Deus diz a Isaque: " Permaneça nesta terra e eu estarei com você" (Gn 26.3)

A palavra de encorajamento que Deus dá a Isaque é a garantia da sua presença com ele.

Se Deus é por nós – quem ????  Sera contra!

A promessa é sustentada mediante a obediência.
Fique e te abençoarei.

PRECISO CONFIAR E OBEDECER
Deus desertos em pomares e fracassos em vitórias. É ele quem faz dos nossos vales verdadeiros mananciais.

"Bendido seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação, que nos consola em todas as tribulações" (2Co. 1.3)


3. No deserto precisamos trabalhar mais.
Genesis 26:12-13  12 Semeou Isaque naquela terra e, no mesmo ano, recolheu cento por um, porque o SENHOR o abençoava.  13 Enriqueceu-se o homem, prosperou, ficou riquíssimo;

Isaque tinha muitas razões para não fazer investimentos em Gerar.

O clima geral era de pessimismo. O desânimo tomava conta de todos.

 Talvez Isaque tenha ouvido muitos afirmando: O lugar aqui é deserto. Aqui não chove. A terra está seca. Aqui não tem água. Este lugar não serve para agricultura. Qualquer investimento de plantio não dará certo. Outros já tentaram e fracassaram. Não tem jeito, não podemos sair dessa crise.

"Isaque formou lavoura naquela terra" (Gn 26.12).

Para prosperar no deserto, é preciso trabalhar, ter iniciativa e criatividade.

Isaque começou a cavar poços. Ele cavou sete poços e especializou-se no que fazia. 

Ele não crusou os braços aguardando as bençãos cairem do céu.

Não ficou lamentando sobre sua situação

Ele Confiou em Deus e trabalhou naquilo que Deus colocou em seu coração.

Ele prospera onde todo o mundo está passando fome.

Buscava um milagre, mas pronto a trabalhar até a exaustão.

Muitos transformam os desertos da vida em campos de murmuração.

Outros ficam cheios de amargura contra Deus ao enfrentarem as privações naturais do deserto.

Estamos cheios de desculpas e na verdade estamos encolhidos no deserto

LUTE LUTE ---

O deserto é o cemitério dos covardes e incrédulos, mas também campo de semeadura e treinamento para os que confiam nas promessas de Deus. HDL


 4. No deserto recebemos as maiores bênçãos.

podemos experimentar os maiores milagres de Deus

Trabalhamos mais e também somos mais abençoados.

Isaque colheu a cento por um no deserto em tempo de seca (Gn 26.12).

"O homem enriqueceu, e a sua riqueza continuou a aumentar, até que ficou riquíssimo" (Gn 26.13).

Tornou-se próspero empresário rural (Gn 26.14). A razão: "Porque o Senhor o abençoou" (Gn 26.12b).

É hora de parar de falar em crise e arregaçar as mangas. É hora de parar de reclamar e começar a trabalhar com afinco.

É no deserto que Deus pode fazê-lo prosperar.

É no deserto que somos abençoados. No sofrimento aprendemos a temera Deus, andamos com Deus e alcança os muitas vitórias.

O sofrimento quebra a resistência oposta a Deus, de modo que o pecador e o obstinado entram contritamente em si mesmos e reconhecem a sua culpa.

É precisamente em meio ao mais amargo sofrimento que surge o desejo de comunhão com Deus. (Josef Scharbert, em Dicionário de Teologia Bíblica, vol. II, p. 1.071)

Você está a caminho da terra prometida. E o caminho da terra prometida é UM DESERTO

Guarda o marinheiro do violento mar ou no violento mar...

Deus pode transformar o deserto em um pomar.

Filipenses 4.5-7
Perto está o Senhor. 6 Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. 7 E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.

Psalm 84:5-6  5 Bem-aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração se encontram os caminhos aplanados,  6 o qual, passando pelo vale árido, faz dele um manancial;

Onde este homem está ... No vale árido. Faz dele.
Quero trazer a memória aquilo que me da esperança Lm 3.21

A terra seca pode ser o palco de abundantes colheitas.

Podemos prosperar no deserto. O Deus de Isaque é o nosso Deus. Ele continua fazendo maravilhas na vida daqueles que crêem em sua Palavra e agem de acordo com os seus preceitos.

A crise não é um fim. Ela é apenas um meio pelo qual Deus o conduzirá a vitórias retumbantes.

Assim como o deserto não era o destino do povo de Israel, mas sim a terra prometida, a crise também vai passar na sua vida.

Seu destino é a glória. Por pior que pareça a situação, por mais amarga que seja a caminhada, por mais duro que seja o chão que você pisa, o seu deserto florescerá.
Flores no deserto

2 Corinthians 4:17   17 Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação,

Numa escola chamada deserto a formatura é no céu


Conclusão
O pastor Paul Yong Cho conta a história de um pastor preso pelos soldados comunistas na cidade de Inchon, na época da invasão comunista na Coréia. Os soldados prenderam o pastor e ameaçaram matá-lo caso não negasse a Jesus. Com bravura, o pastor reafirmou sua fidelidade a Jesus a despeito das ameaças. Os soldados, irados, ameaçaram sepultá-lo vivo com a sua família, caso eles não renegassem a sua fé. O pastor e sua família preferiram o martírio à apostasia. Foi aberta, então, uma grande cova e jogaram lá dentro o pastor e sua família. Começaram a jogar terra e a soterrar a família piedosa. Quando a terra já estava quase sufocando a todos, um filho gritou desesperado: "Papai, pense em nós, papai! Pense em nós!" O pai, aflito, começou a chorar, mas a sua esposa, cheia de fervor, gritou para os filhos: "Coragem, meus filhos, vocês não sabem que hoje à noite nós vamos jantar com o Rei dos reis e Senhor dos senhores?" Depois de encorajá-los a ser fiéis até a morte, começou a cantar um hino sobre o céu: "Eu avisto uma terra feliz, uma terra de glória e fulgor. Avistamos o lindo país, pela fé na Palavra de Deus. Sim no doce porvir, viveremos no lindo país. Sim no doce porvir, viveremos no lindo país." Cantaram com entusiasmo até que suas vozes foram silenciadas debaixo dos escombros. A obediência daquela família levou-os ao caminho estreito do martírio, mas no fim dessa estrada estava a glória excelsa de Deus. A multidão que assistiu a esse doloroso martírio ficou profundamente comovida e dezenas de pessoas se converteram e foram salvas por esse testemunho.

A tribulação é um contexto onde podemos experimentar o consolo de Deus de modo mais intenso. "Bendido seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação, que nos consola em todas as tribulações" (2Co. 1.3)

(Este esboço tem algumas frases do livro Prosperando no Deserto - Hernandes Dias Lopes - Recomendo a leitura)