sexta-feira, 10 de junho de 2011

Equilíbrio

Provérbios 3.21-26
A sabedoria é árvore que dá vida a quem a abraça; quem a ela se apega será abençoado (Pv 3.18).
Precisamos buscar a sabedoria de Deus como nos diz o nosso texto base. É preciso manter o equilíbrio.
Para isso devemos ficar de olhos bem abertos à sensatez. Caminhando na presença de Deus temos segurança e paz, sono tranquilo e proteção, porque o Senhor irá impedir nossa queda.

Certa vez, perguntaram a um famoso equilibrista: como você consegue se equilibrar tão bem. Ele respondeu: Simples, quando estou caindo para um lado, pendo para o outro. Esta frase ficou em minha mente e percebi que na vida precisamos manter a estabilidade, como um equilibrista que foge da queda pendendo em direção contrária. Percebo que às vezes, no lugar de nos curvarmos em direção contrária ao abismo, estamos pendendo para o buraco que nos atrai.
Alguns jacarés tem uma forma interessante de caçar sua refeição. Eles ficam parados de boca aberta, enterrados na lama, e figem que estão mortos. Insetos e pequenos anfíbios aproveitam o calor e o mal cheiro da boca do animal para se acomodarem. Quando o jaca­ré percebe que já tem o suficiente para uma mastigada, fe­cha a boca. Assim se alimenta sem maiores esforços. Muitas pessoas estão seguindo para a boca do jacaré, pendendo para o mal caminho. Acreditam que lá vão encontrar abrigo, e até conseguem algum prazer, mas quando a boca do jacaré se fecha é difícil retornar.
O que tem nos atraído? Será que estamos buscando a fétida boca do inimígo. Será que nossos passos se apressam em correr para o mal? A Bíblia, em Tiago 1 afirma que somos atraídos pela nossa cobiça, tentados pelo próprio mal desejo. Ele tenta nos arrastar, nos seduzir. Esta é a hora de aplicar a sabedoria do equilibrista. Temos que pender para o outro lado, para o Pai das luzes, e assim voltar ao equilíbrio. Pois senão, o desejo concebido nos leva ao pecado que gera a morte. Fato é: ou buscamos a Deus ou caminhamos para a boca do jacaré.  

A sabedoria de Deus é nosso equilíbrio na caminhada entre os abismos

Rev. Hebert dos Santos Gonçalves