domingo, 22 de abril de 2012

Áudio MP3 dia 22/04/2012

Série: A prática dos bons relacionamentos
Tema: Relacionamentos 
Texto: I Co 15.20-22
Pregador: Hebert dos Santos Gonçalves
https://www.box.com/s/f2d69a734f519dde5a7b
Veja abaixo mais informações e o esboço usado










Adaptação do Estudo de Rev. Hernandes Dias Lopes 

SLIDE 1
Relacionamentos que promovem o crescimento da igreja  -  Salmos 133

SLIDE 2
Psalm 133:1 – 
Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos!  
2 É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes.  
3 É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião. Ali, ordena o SENHOR a sua bênção e a vida para sempre.  

SLIDE 3
Casou consigo mesmo
Auto casamento
Aos 36 anos de idade,  Nadine Schweigert – uma americana de Fargo, North Dakota, decidiu que não ia mais esperar pelo seu príncipe encantado.
Mais que isso: ela tinha um ponto a provar ao mundo – que ela não precisava de nenhum homem para se sentir completa e plena em sua felicidade. Na semana passada, Nadine provou este ponto em grande estilo. Ela se casou com ela mesma e, agora, é um casal de uma pessoa só.
Em seu casamento, ela trajava um longo vestido de cetim azul e empunhava um chumaço de rosas brancas. Diante de seus 45 convidados — que, neste caso, eram parentes e amigos da noiva e do noivo ao mesmo tempo — ela trocou votos de fidelidade com ela mesma. - Eu, Nadine, prometo gozar do prazer de habitar minha própria vida e saborear um caso de amor comigo mesma.
Depois disso, Nadine trocou anéis com ela mesma e, na hora do tradicional “pode beijar a noiva”, ela pediu aos seus convidados que jogassem beijos para todo mundo. Logo após o casamento, Nadine recebeu seus convidados e partiu para lua-de-mel em Nova Orleans.
Nadine diz que, depois de três filhos e um divórcio, ela passou tempo demais esperando que alguém chegasse e a fizesse feliz. Um dia, porém, um amigo disse que ela não deveria precisar de ninguém para ser feliz e que ela deveria se casar consigo mesma.
Naquele momento, algo dentro da cabeça de Nadine produziu um “plim” e brilhou na escuridão. Ela deu forma à ideia e percebeu que, sim, o seu amigo estava certo e que, se fosse para ser feliz, ela teria que começar sozinha. No começo, foi estranho explicar aos outros o que queria fazer. 
- Eu estou muito orgulhosa do que fiz e me sinto muito bem a respeito. Estou satisfeita em ter me casado comigo mesma; Eu sou apenas uma pessoa única e sensacional que não se adapta aos moldes ou ideais de ninguém e eu espero que você esteja de acordo com isso. Também, por outro lado, se não estiver, tudo bem pra você, está tudo bem pra mim mesmo assim.

Não quero julgar a Nadine, pessoa que conheço apenas por uma reportagem, e não tenho como saber o quão fiel é a história de vida desta mulher relatada nestas poucas linhas. Mas, gostaria de comentar está notícia, pois acredito que muitas pessoas vivem histórias parecidas, mesmo não chegando ao ponto de oficializarem seus sentimentos com uma celebração desta. 

Tempos estranhos nós vivemos. 
Olha a frase: "- Eu, Nadine, prometo gozar do prazer de habitar minha própria vida e saborear um caso de amor comigo mesma." 
Parece que a esperança de encontrar um grande amor acabou para Nadine.  Ela quer então mostrar que não precisava de nenhum homem para se sentir completa e plena em sua felicidade. 
Cada vez mais pessoas estão fazendo a escolha pela solidão. Em muitos casos isso acontece com a idade ou por caminhos que alguns são levados naturalmente. 
Mas também muitos estão buscando esta opção de maneira egoísta. Por não conseguir lidar com pessoas, amar ao seu próximo. Muitos estão buscando uma vida solitária por não saber dividir seu tempo, seus bens, sua vida. 
Ocorre também que muitas famílias vivem o isolamento dentro de casa, o que é ainda pior. Cada um trancado em seu quarto, cada um com seu computador, sua televisão, sua vida própria, saboreando um caso de amor consigo mesmo. 
Mas pior de tudo, tem sido o isolamento de Deus. Isso ocorre quando as pessoas acham que não precisam de Deus. A viva se resume em amar a si mesmo, curtir suas coisas, seus passeios. Seus momentos são animados por realizações pessoais. 
Tempos estranhos em que vivemos, no lugar de buscarmos a Deus e amarmos nosso próximo, estamos nos afastando dos outros, nos isolando de Deus e correspondendo ao que diz a Bíblia "Nos últimos dias os homens serão egoístas".  

Relacionamentos que promovem o crescimento da igreja  -  Salmos 133

Quando até os relacionamentos básicos estão em crise mais difícil se torna o relacionamento sincero entre os crentes. 
Muitos vão a igreja mas não querem se envolver com o trabalho da igreja. 
Muitos até se envolvem com trabalhos da igreja mas não querem se envolver com as pessoas da igreja. 
Esta falta de bons relacionamentos na igreja é o que muitas vezes está impedindo o crescimento da mesma 

SLIDE - HDL
1. Uma pessoa decide-se por uma igreja, via de regra, pela acolhida que lhe é dada. Ninguém consegue ficar numa igreja, onde não faz amizades. 2. O cristianismo é sobretudo relacionamento. A amizade é uma ponte para o evangelismo. 
MCI (Movimento de Crescimento da Igreja) diz que 75% das pessoas que estão na igreja foram trazidas por amigos. 

A igreja é a família de Deus: A igreja é uma família, onde temos o mesmo Pai, somos todos irmãos.
a) A igreja não é um clube, onde cada um paga sua mensalidade e vive isoladamente; b) A igreja não é um supermercado, onde eu vou procurar aquilo que eu gosto; c) A igreja não é uma casa de shows, onde sou apenas um espectador;  .
A importância de relacionamentos saudáveis para o crescimento da igreja
1. A união entre os irmãos é bela aos olhos de Deus – Sl 133:1  Psalm 133:1 – Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos!  
Algumas pessoas têm prazer no conflito, mas como precisamos desenvolver um coração que se agrada com a unidade!
Irmãos – aqueles que seguem o mesmo Deus - 
Mais do que reunidos – bom e agradável é viverem unidos
Muitos ficam presentes apenas de corpo – sua mente está unida com outra coisa
Esta união é boa e agradável a Deus 
Como um pai se alegra vendo seus filhos abraçados compartilhando amizade. Assim Deus se alegra vendo a igreja reunida e unida. 
2. A união entre os irmãos é terapêutica e restauradora – Sl 133:2-3a A pratica do bons relacionamentos promove cura 
2 É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes.  3 É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião. 
• A união entre os crentes é como óleo. O óleo é símbolo do Espírito. Ele produz cura, alívio (Lc 10:34; Tg 5:14). O óleo era usado como cosmético, remédio e unção espiritual. O amor produz vida, sorriso, alegria, comunhão e força para as batalhas.  
• Onde há comunhão, há cura (Tg 5:16).
15 E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. 16 Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados.
A união entre os irmãos é restauradora – Sl 133:3 3 É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião. 
• A união é como o orvalho. O orvalho é símbolo da presença restauradora de Deus (Os 14:5). • O orvalho é discreto, cai sem alarde, sem trovões e relâmpagos. • O orvalho vem à noite, depois do calor e nas horas mais escuras. • O orvalho traz frescor. • O orvalho é constante e abundante. • A verdadeira amizade não discreta, constante, restauradora.
3. A união entre os irmãos é abençoada – Sl 133:3  Ali, ordena o SENHOR a sua bênção e a vida para sempre.  
• Onde há união, ali Deus ordena a sua bênção e a vida para sempre. 
Não é simplesmente no templo mas no lugar que os irmãos se reúnem na pratica dos bons relacionamentos
O relacionamento é a base da evangelização eficaz.   

Identificando os problemas que afetam os relacionamentos e impedem o crescimento da igreja
A necessidade de romper a solidão e o isolamento da vida moderna 
A necessidade de ser sensível às pessoas e nos envolvermos com as pessoas.
A necessidade de entendermos que somos conhecidos como discípulos de Cristo pelo amor 
 Cultivar relacionamentos que promovam o crescimento da igreja 

HDL
1. Uma pessoa decide-se por uma igreja, via de regra, pela acolhida que lhe é dada. Ninguém consegue ficar numa igreja, onde não faz amizades. 2. O cristianismo é sobretudo relacionamento. A amizade é uma ponte para o evangelismo. 
MCI (Movimento de Crescimento da Igreja) diz que 75% das pessoas que estão na igreja foram trazidas por amigos. 1- Precisamos ser uma igreja aberta aos que chegam 
A ilustração da Clientela: 
Por que os clientes desaparecem? 
1% dos clientes morrem; 3% mudam para outro lugar; 
5% encontram um preço melhor; 9% mudam em função de conveniência; 14% descontentamento pessoal; 68% em função de mau atendimento. 
– A igreja não pode ser formada de panelinhas, grupos fechados. 
Precisamos ser uma igreja sensível aos visitantes – (Rm 15:7) 3 tipos de igreja em relação ao visitante
1) Uma igreja hostil ao visitante; 
2) Uma igreja simpática ao visitante; 
3) Uma igreja voltada ao visitante. 

2. Precisamos ser uma igreja de apoio às pessoas – Barnabé investiu em Paulo (At 9:26-27; 11:22-26) e em João Marcos (At 15:36-39). Paulo investiu em Timóteo. Elias investiu em Eliseu. Moisés investiu em Josué. Em que você está investindo? Discipule alguém este ano. Use o seu telefone. Envie cartas. Mande um cartão. 

3 - Precisamos ser uma igreja com lares abertos – Convide uma pessoa nova para lanchar com você. Pessoas valem mais que coisas.
Precisamos ser uma igreja onde os lares sejam agência de evangelismo e discipulado – O ministério dos grupos familiares.



Acts 2:47  contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos. 

OVO DE PATO 

Em um sítio, costumavam contar uma parábola interessante sobre algumas galinhas. Havia um grupo de galinhas muito bem organizado. Elas formaram inicialmente uma cooperativa e, com o passar do tempo, possuíam um império econômico construído a partir da renda obtida com a venda de ovos.
Certo dia, uma das galinhas foi fazer uma visita a uma amiga pata. Lá viu grande pobreza. As patas enfrentavam dificuldades econômicas sérias. Era uma crise que durava já algum tempo.
A galinha ficou intrigada com a situação, afinal, os ovos das patas são muito maiores do que os das galinhas, e deveriam valer muito mais.
De volta ao galinheiro, resolveu conversar com uma galinha mais experiente, que conhecia muito bem o negócio de venda de ovos.
Não consigo entender por que as patas estão passando necessidades. Elas põem ovos muito maiores e mais nutritivos do que nós. Qual o problema com elas? - indagou.
A galinha mais experiente respondeu:
- O problema com as nossas amigas patas é a divulgação. Quando elas põem um ovo, quase não fazem barulho e assim ninguém fica sabendo. Nós, ao contrário, quando colocamos um ovo, saímos pelo sítio fazendo um verdadeiro escândalo. Todos ficam sabendo que colocamos um ovo. Essa é a diferença.
Mostre os seus dons, faça com que todos saibam do que você é capaz. Anuncie, não vá querer ficar como as patas, que têm o melhor produto, mas não sabem divulgá-lo.

Deus diz que é bom e agradável que os irmãos vivam em união. Qual a sua escolha: Auto casamento – ou comunhão 






Segue abaixo o texto de origem que foi adaptado para a mensagem
Relacionamentos que promovem o crescimento da igreja

Por Rev. Hernandes Dias Lopes

Referência: Salmos 133
INTRODUÇÃO
1. Uma pessoa decide-se por uma igreja, via de regra, pela acolhida que lhe é dada. Ninguém consegue ficar numa igreja, onde não faz amizades.
2. O cristianismo é sobretudo relacionamento. A amizade é uma ponte para o evangelismo. MCI diz que 75% das pessoas que estão na igreja foram trazidas por amigos.
3. Nem todo crescimento é saudável e nem todo relacionamento é aprovado por Deus. Exemplo: A igreja de gueys em Dalas. 
4. O perigo dos extremos: numerolatria e numerofobia.
5. A igreja é a família de Deus:
a) A igreja não é um clube, onde cada um paga sua mensalidade e vive isoladamente;
b) A igreja não é um abrigo de salvos, onde cada um busca os seus próprios interesses;
c) A igreja não é uma prestadora de serviços, onde só a procuro para atender minhas necessidades;
d) A igreja não é um supermercado, onde eu vou procurar aquilo que eu gosto;
e) A igreja não é uma casa de shows, onde sou apenas um espectador;
f) A igreja não é uma sala de obstetrícia, onde o pastor age como médico obstetra, mas onde os crentes desempenham o seu ministério;
g) A igreja é uma família, onde temos o mesmo Pai, o mesmo irmão mais velho e somos todos irmãos.
I. A importância de relacionamentos saudáveis para o crescimento da igreja
1. A união entre os irmãos é bela aos olhos de Deus – Sl 133:1
• Uma casa dividida não prevalece (Mt 12:25).
• A desunião dos crentes é um gesto de imaturidade e carnalidade (1 Co 3:1-3).
• Quando os crentes são unidos, a igreja passa a contar com a simpatia dos de fora (At 2:47).
2. A união entre os irmãos é terapêutica – Sl 133:2
• A união entre os crentes é como óleo. O óleo é símbolo do Espírito. Ele produz cura, alívio (Lc 10:34; Tg 5:14). O óleo era usado como cosmético, remédio e unção espiritual.
• A igreja de Corinto estava doente porque não havia comunhão entre os crentes (1 Co 11:30).
• Onde há comunhão, há cura (Tg 5:16).
3. A união entre os irmãos é restauradora – Sl 133:3
• A união é como o orvalho. O orvalho é símbolo da presença restauradora de Deus (Os 14:5).
• O orvalho é discreto, cai sem alarde, sem trovões e relâmpagos.
• O orvalho vem à noite, depois do calor e nas horas mais escuras.
• O orvalho traz frescor.
• O orvalho é constante e abundante.
• A verdadeira amizade não discreta, constante, restauradora.
4. A união entre os irmãos é abençoada – Sl 133:3
a) Crescimento numérico – A vida de Deus
b) Crescimento espiritual – A bênção de Deus
• Onde há união, ali Deus ordena a sua bênção e a vida para sempre. O relacionamento é a base da evangelização eficaz. 
• O relacionamento de comunhão e ajuda mútua na igreja de Jerusalém, deu a ela um estupendo crescimento. 
• Não é o que eu devo fazer para a igreja crescer, mas o que está impedindo a igreja de crescer.
5. Perigos que impedem o relacionamento de pessoas saudáveis e maduras
a) Crescimento retardado (Hb 5:11-14) – Uma igreja APAE (crentes com 15 anos ainda tomando mamadeira).
b) Hidrocefalia – Cabeça grande e corpo mirrado. Conhecimento sem prática.
c) Sedentarismo – Alimento sem exercício. Risco de colesterol alto e infarto.
d) Flacidez – Descanso sem atividade.
e) Altismo – Desligado de tudo à sua volta. Seu mundo só tem espaço para si mesmo.
f) Inanição – Alimenta-se apenas uma vez por semana.
g) Antropofagia (Gl 5:15) – relacionamentos quebrados. Falar mal dos irmãos (Tg 4:11).
h) Autofagia (Fp 4:6) – A ansiedade. 
II. Identificando os problemas que afetam os relacionamentos e impedem o crescimento da igreja
1. A necessidade de romper a solidão e o isolamento da vida moderna – O homem é apenas um número, sem nome, sem cara. A igreja é a comunidade da solidariedade. Exemplo: A cura do homem da mão mirrada (Levanta-te; vem para o meio; estende a sua mão).
2. A necessidade do tratamento pessoal – As pessoas devem ser chamadas pelo nome. É assim que Jesus faz conosco (Jo 10:14,27).
3. A necessidade de ser sensível às pessoas – Precisamos começar onde as pessoas estão (Nicodemos, Samaritana, Paralítico de Betesda, Zaqueu, jovem rico).
4. A necessidade de nos envolvermos com as pessoas – Neemias fez perguntas. Neemias envolveu-se. Neemias mudou sua agenda.
5. A necessidade de sermos afetuosos nos relacionamentos – Paulo chora e beija os presbíteros de Éfeso. O conselho do presbítero Uziel.
6. A necessidade de acolhermos uns aos outros com Deus em Cristo nos acolheu – Jesus tocou o leproso e disse: Fica limpo. Jesus abraçou as crianças, comeu com os pecadores, entrou na casa de Zaqueu. Para Jesus as pessoas são mais importantes do que os rituais.
7. A necessidade de entendermos que somos conhecidos como discípulos de Cristo pelo amor 
a) O amor “filadelphia”. Numa família as pessoas são diferente4s, mas formam uma só família. AS pessoas não vivem competindo. É inimaginável pensasr que um irmão cobiça a mulher do outro, que se entrisce com a vitória do outro. É amar uns aos outros com amor de irmão de sangue. É chorar com os que choram e alegrar-se com os que se alegram.
b) João 13:34-35 – O purê de batatas.
III. Propostas para cultivarmos relacionamentos que promovam o crescimento da igreja 
1. Precisamos ser uma igreja de apoio às pessoas – Barnabé investiu em Paulo (At 9:26-27; 11:22-26) e em João Marcos (At 15:36-39). Paulo investiu em Timóteo. Elias investiu em Eliseu. Moisés investiu em Josué. Em que você está investindo? Discipule alguém este ano. Use o seu telefone. Envie cartas. Mande um cartão. 
2. Precisamos ser uma igreja de comunhão e ajuda mútua (Fp 2:3-4; At 2:44-45) – O amor honra o outro. Quem ama dá.
3. Precisamos ser uma igreja de perdão e cura (Lc 17:3-6) – Onde não há perdão as pessoas adoecem. Ilustração: A igreja de Areias (suicídio + adultério + tentativa de suicídio + estamos doentes).
4. Precisamos ser uma igreja aberta aos que chegam – A igreja não pode ser formada de panelinhas, grupos fechados. Exemplo: Diótrefes.
5. Precisamos ser uma igreja sensível aos visitantes – (Rm 15:7)
a) A ilustração do Jantar: 1) Uma igreja hostil ao visitante; 2) Uma igreja simpática ao visitante; 3) Uma igreja voltada ao visitante.
b) A ilustração da Clientela: Por que os clientes desaparecem? Standart Oil company: 1% dos clientes morrem; 3% mudam para outro lugar; 5% encontram um preço melhor; 9% mudam em função de conveniência; 14% descontentamento pessoal; 68% em função de mau atendimento.
c) Os dez mandamentos do relacionamento humano:
1) Fale com o visitante; esteja antenado no culto e depois dele para acolher o visitante.
2) Sorria para as pessoas: São necessários 72 músculos para franzir o rosto; apenas 14 para sorrir;
3) Mencione o nome das pessoas;
4) Seja cortês e cooperador. Quer ter amigos? Seja amigo!
5) Tenha um interesse genuíno pelas pessoas;
6) Seja cordial. Tenha uma palavra e uma atitude encorajadora;
7) Seja generoso nos elogios e cauteloso nas críticas;
8) Tenha consideração com o sentimento das pessoas;
9) Considere a onião das outras pessoas;
10) Esteja pronto para ouvir.
6. Precisamos ser uma igreja com lares abertos – Convide uma pessoa nova para lanchar com você. Pessoas valem mais que coisas.
7. Precisamos ser uma igreja onde os lares sejam agência de evangelismo e discipulado – O ministério dos grupos familiares.