segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Expulsando a tentação

Tiago 1.12-15

Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo (Gn 4.7).

O escritor Max Lucado disse: “A realidade da tentação é ainda mais certa que a morte, a fome e os impostos”. E como bem satirizou alguém, as tentações são como gatos de rua – trate um deles bem, antes que você consiga piscar, ele estará de volta com uma dúzia de amigos!
Todos os homens passam por tentação. Até Jesus foi tentado no deserto, mas não caiu em tentação. Satanás não apenas tentou tentar Jesus no deserto. Jesus realmente foi tentado pelo Diabo. Ele foi tentado como nós e até mais intensamente do que nós.
Cada um é tentado, como diz Tiago, não por Deus, mas pelo pecado. O pecado está à porta, se deixarmos ela aberta ele vai entrando sem bater. A tentação está à porta da nossa mente, ela quer entrar e dominar nossos pensamentos, intenções e decisões.  É preciso dominá-la. 
Cada um é tentado pela sua própria cobiça. Somos atraídos e nos deixamos enganar pelos nossos próprios maus desejos. Por isso, em relação à tentação mais comum e específica em nossa vida é que devemos agir. Resistindo a tentação sempre vigiando e orando para combater o seu poder.  Se não lutarmos contra a tentação, estes maus desejos se transformarão em pecado e o pecado que não é tratado com a confissão e perdão produz a morte espiritual. 
É preciso buscar a Jesus. Não se distraia com a tentação, olhe para Jesus, Ele pode ajudar os que são tentados, pois ele mesmo foi tentado e sofreu (Hb 2.18).
Não fique com pena da tentação como se ela fosse um gatinho abandonado que precisa de carinho. Cuidado com ela. Afaste-a da sua casa quantas vezes for necessário. Desta forma, mesmo quando por um momento porventura venha a tropeçar não cairá, não ficará prostrado, o Senhor vai te segurar pela mão.

Feliz o que suporta a tentação e a provação
Aquele que está de pé veja que não caia