sábado, 31 de dezembro de 2016

Novo tempo

Joel 2.23-27 

Vou compensá-los pelos anos de colheitas que os gafanhotos destruíram: o gafanhoto peregrino, o gafanhoto devastador, o gafanhoto devorador e o gafanhoto cortador, o meu grande exército que enviei contra vocês. (Jl 2.25) 

Todos nós já perdemos oportunidades ou arruinamos chances num determinado período da vida. Por que não aceitei aquela proposta de emprego? Ou: Por que passei todos esses anos fazendo tantas coisas erradas, quando deveria ter seguido em frente? Qualquer que seja a razão, quando as coisas não saem do nosso jeito, é tentador pensar: “Que azar o meu. Nunca mais terei outra chance como esta. Perdi o meu momento!” Mas a boa notícia é que Deus sempre tem um momento novo na vida de cada um de nós. Ele disse isso no livro do profeta Joel: “Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos...” (Joel 2.25). 
Deus promete restaurar os anos perdidos, os bons tempos roubados e destruídos. Você pode não ser capaz de reviver a sua infância, mas Deus pode tornar o restante de sua vida tão recompensador e cheio de realizações que isso compensará as oportunidades perdidas em seu passado. Não desanime. Deus controla o tempo. Para cada oportunidade que você perdeu, cada chance que deixou passar, Deus pode colocar coisas ainda maiores e melhores no seu caminho. Não cometa o erro de se conformar com uma situação amarga. Deus pode restaurar os bons anos, os bons tempos e os bons relacionamentos. Creia que o novo tempo de Deus é sempre melhor do que o antigo. 
José do Egito, no auge de sua mocidade, foi vendido pelos seus irmãos como escravo. Quanto tempo perdeu? Quantos anos amargou servindo como escravo? E depois ficou jogado às traças em uma cela e esquecido por todos? Seu coração poderia ter se azedado com remorsos, com amargura acumulada. Mas ele não deixou que isso o fizesse perder mais tempo do que já havia perdido. Confiou sempre no Senhor e quando Deus lhe abriu novas portas, os anos foram recuperados de maneira inigualável. 


Deus renova os tempos na sua caminhada