sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Os magos

Mateus 2.1-12 

Ao entrarem na casa, viram o menino com Maria, sua mãe, e, prostrando-se, o adoraram. Então abriram os seus tesouros e lhe deram presentes: ouro, incenso e mirra (Mt 2.11). 

Os magos eram conselheiros de reis, como foram José e Daniel, cujas histórias encontramos na Bíblia nos livros de Gênesis e Daniel. A visita dos magos ao menino Jesus e a entrega dos presentes é o cumprimento de profecias do Antigo Testamento em que povos gentios trazem suas riquezas ao rei de Israel em uma demonstração de reconhecimento ao seu senhorio (Sl 72.10; Is 60.6).
Esta visita ocorreu algum tempo após o nascimento de Jesus, possivelmente um ano ou mais após. Estavam em uma casa, não mais na estrebaria. 
Queremos destacar nesta história a entrega dos presentes. Eles podem ter muitos significados. O que mais se aplica é que eles sejam uma demonstração de reconhecimento de que Jesus era respectivamente Rei, Filho de Deus e aquele que estava destinado à morte.
Jesus foi saudado com ouro. Esse presente lembra-nos que Jesus é Rei, o mais nobre e precioso rei. Ele deve ser presenteado com o que há de melhor. Devemos dar a Jesus a nossa vida. Ele deve ser nosso tesouro. 
Os magos lhe deram também incenso. Uma resina aromática de certas árvores que, misturada com especiarias, era queimada nas cerimônias de adoração a Deus. O incenso era símbolo das orações que subiam para Deus. Com esse presente, Jesus é reconhecido como o Filho de Deus, a quem devem ser dirigidas as nossas orações e toda adoração. 
Também entregaram como presente, mirra. A mirra é uma erva amarga e simbolizava o sofrimento de Cristo. Este presente nos lembra o seu sacrifício, entregando sua vida para nos salvar. Lembra-nos que fomos comprados por alto preço e que devemos segui-lo.

Jesus é nosso Rei, Senhor e Salvador.