sábado, 25 de fevereiro de 2017

Vontade do Pai

Salmo 143.10-12

Agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração, está a tua lei” (Sl 40.8).

Um bom e corajoso rei da Polônia confessou que devia o seu excelente caráter a um hábito secreto que havia formado. Era filho de um pai nobre, e sempre levava uma pequena foto do mesmo para a qual olhava frequentemente. Quando entrava numa batalha contemplava a foto, e ficava corajoso e valente. Quando se assentava na câmara, olhava secretamente a fotografia do seu bom pai, e comportava-se como um bom rei; pois dizia sempre: “Não farei coisa alguma que possa desonrar meu pai”. 
Bom seria se, mais do que uma foto no bolso, tivéssemos bem guardada a vontade de Deus no coração. Realizar a vontade de Deus é agradável quando temos sua lei em nosso coração e quando sempre a consultamos antes de tomar decisões. 
Da mesma forma que um filho envergonha seu pai quando se comporta de forma errada, nós entristecemos a Deus quando o desrespeitamos.
Deve ser nossa prioridade consultar a Deus. Nosso pedido diário deve ser: “ensina-me a fazer a tua vontade, pois tu és o meu Deus, guie-me o teu bom Espírito por terreno plano” (Sl 143.10). O fato é que iremos viver conforme a vontade de quem é o nosso “Deus”. Por isso é importante afirmar ao Senhor, tu és o meu Deus. Esta afirmação é capaz de nos fazer entender que nossa ação sempre deve passar pelo filtro da vontade dele. Vontade que é sempre boa, agradável e perfeita.  


Ai dos que andam à vontade e não conforme a vontade de Deus.