segunda-feira, 6 de março de 2017

Acostumando com o luxo

Atos 20.31-35

Oh! Provai e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele se refugia” (Sl 34.8).

Sempre nos deparamos com a ideia de que para ser feliz precisamos ter muito dinheiro, muitos recursos. Mas será mesmo? Será que quando conseguirmos comprar certas coisas ou ter um salário maior nos tornamos pessoas mais felizes? Existe uma teoria chamada “adaptação hedônica” que diz o seguinte: À medida que uma pessoa ganha mais dinheiro, as suas expectativas e desejos aumentam em consonância, do que resulta não haver qualquer ganho permanente em felicidade. 
Em resumo, isso quer dizer que nos acostumamos com o luxo. “Quando coisas boas acontecem, rapidamente nos adaptamos a elas e as tornamos parte de nossas expectativas básicas, sem preencher o vazio primordial” (Dan, Harris).
Esta teoria é mais um motivo para não vivermos correndo atrás do dinheiro, achando que correndo atrás de dinheiro estamos em busca da felicidade. 
A felicidade está em outro lugar. Ela se encontra na justiça e não na prática da corrupção, no arrependimento e não auto-afirmação, na busca de Deus e não na busca das riquezas. Maior é a felicidade de dar do que de receber. Feliz é aquele que teme ao Senhor e obedece aos seus mandamentos. 
Diferente do prazer e alegria das diversões que logo desaparecem, a felicidade de praticar todas estas coisas boas só irá aumentar dia a dia. 

Feliz é aquele que tem Deus como Senhor. Seja feliz.