sábado, 25 de março de 2017

Arrependeu do bem

Jeremias 34.8-17

Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar” (Sl 51.4).

Zedequias, rei de Judá, fez uma aliança com o povo de Jerusalém. Eles não teriam mais hebreus como escravos. Mas depois se arrependeram de sua promessa e trouxeram de volta os escravos que haviam despedido. Isso deixou o Senhor muito irado. Ao recapturarem os escravos, eles mostraram o seu desprezo pela lei e quebraram o pacto que haviam feito. Naquela época quando duas pessoas queriam contratar um pacto entre si, era comum cortar um animal longitudinalmente em duas metades, que eram colocadas no chão; então, passavam entre elas, como que invocando sobre si mesmos o destino do animal, caso quebrassem o pacto. Em Jeremias 34.18-20, Deus anunciou que traria de volta o exército babilônico para fazer com os homens de Jerusalém exatamente como haviam feito ao bezerro que haviam matado para firmar o pacto de libertação dos escravos. 
Este povo que constantemente demostrou ser um povo duro de coração, que não se arrependia de seus pecados, mostrou-se fraco em cumprir um compromisso. Foram rápidos para se arrependerem do bem que estavam fazendo. Foi louvável a atitude de deixar livres os escravos, mas o bem que fizeram durou pouco tempo, pois se arrependeram dele. Por isso, receberiam castigo da parte de Deus por sua desobediência. Precisamos reconhecer que somos pecadores. Arrepender de nossos pecados. É triste, quando como este povo, nosso arrependimento é somente de coisas boas que fazemos.  


Arrepender-se só do pecado e do mal.