quinta-feira, 30 de março de 2017

Frágil aparência

1Samuel 16.7-13

Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração” (1Sm 16.7).

Uma fábula conta a história de um burro que encontrou uma pele de leão que um caçador tinha deixado largada na floresta. Na mesma hora, o burro vestiu a pele e inventou a brincadeira de se esconder numa moita e pular fora sempre que passasse algum animal. Todos fugiam correndo assim que o burro aparecia. O burro estava gostando tanto de ver a bicharada fugir dele correndo que não conseguiu segurar um belo zurro de satisfação. Ouvindo aquilo, uma raposa que ia fugindo com os outros parou, virou-se e se aproximou do burro rindo:
- Se você tivesse ficado quieto, talvez eu também tivesse levado um susto. Mas aquele zurro bobo estragou sua brincadeira!  
Um tolo pode enganar os outros com o traje e a aparência, mas suas palavras logo irão mostrar quem ele é de fato.
Todos nós, sem exceção, de alguma forma aparentamos ser o que não somos. Não podemos nos acostumar com isso, nos aproveitar desta situação. Não dá para viver só de aparência. A maquiagem borra, as roupas sujam, a boca entrega o que está escondido no coração. A Bíblia condena aqueles que se escondem através de uma aparência de bondade com maldade guardada no coração. Deus não aceita a aparência do homem. Ele conhece a realidade de nossas obras. 


Guardai, pois, cuidadosamente, a vossa alma, o vosso coração.