quinta-feira, 20 de abril de 2017

A preguiça

Provérbios 6.6-11

O preguiçoso deseja e nada tem, mas a alma dos diligentes se farta” (Pv 13.4).

Um garotinho de seis anos chorava a um canto da casa. A mãe foi atendê-lo:
- Que aconteceu, meu filho?
- Acabei de aprender a amarrar o cadarço.
- Então, parabéns. Isso é ótimo!
Sendo mãe sábia, ela elogia o menino e comemora a sua vitória: 
- Você está mesmo crescendo, hein? Mas me diga, por que você ainda está chorando? 
 E lá vem uma resposta reveladora:
- É porque agora eu vou ter que fazer isso pelo resto da minha vida.
Salomão diz que o preguiçoso deve aprender com a formiga. Realmente, a formiga é um bom exemplo de um verdadeiro trabalhador. A formiga trabalha aos bandos, há uma organização dividida por tarefas entre esses bichinhos. Elas trabalham sem parar durante o verão, para depois comer o que conseguiram, no inverno. Além disso, uma formiga pode transportar uma carga superior ao seu próprio peso.
Salomão diz que quem se deixa levar pela preguiça terá a pobreza como um ladrão visitante. Sabemos que outros fatores podem trazer problemas econômicos, mas muitas vezes a preguiça é seu causador. 
A preguiça também é um perigo em outras áreas. Não devemos simpatizar com ela. Pela preguiça podemos deixar de cuidar de nossas responsabilidades no lar, no trabalho e na igreja. O pior é que a preguiça pode nos deixar pobres espiritualmente. 


O trabalho traz recompensa, a preguiça prejuízo.