terça-feira, 6 de junho de 2017

Minha paz

Lucas 10.17-20

“Servi ao Senhor com temor e alegrai-vos nele com tremor” (Sl 2.11).

Sei que você já ouviu falar sobre a necessidade de ter Deus como fonte de alegria. Mas parece ser mais fácil alegrar-se com um aumento de salário, com uma viajem de férias ou com qualquer realização pessoal. Fanny Crosby foi um exemplo de contentamento. Nascida em 24 de março de 1820, no município de Putnam, em Nova Iorque. Pouco depois disso, veio a falecer seu pai. Quando tinha apenas seis semanas de vida ficou cega por causa de um erro médico. Esta deficiência lhe acompanhou o resto de sua vida. Mesmo assim, Fanny não se deixava abalar pelo problema. A menina teve então de acostumar-se às dificuldades, ao mesmo tempo em que demonstrava uma habilidade incomum para compor poemas. Ela superou sua deficiência visual compondo maravilhosos hinos, como o 144 (NC) - Segurança e Alegria: “Que segurança tenho em Jesus, pois nele gozo, paz, vida e luz. Com Cristo herdeiro, Deus me aceitou, mediante o filho que me salvou! Conto esta história, cantando assim: Cristo na cruz foi morto por mim!”
A fonte de alegria de Fanny não consistia em recursos deste mundo, nem em uma saúde perfeita. Sua cegueira física não a impediu de enxergar que a sua segurança estava em Jesus. Em Jesus ela tinha paz, vida e luz. As deficiências que enfrentamos não devem tirar nossa alegria. As oportunidades e realizações não devem ocupar o lugar de Deus, fazendo-nos esquecer que a nossa maior alegria é a salvação que temos em Jesus. 


Deus é fonte de vida e paz.