sexta-feira, 30 de junho de 2017

Quando caluniados

Salmo 4.2-5

“Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não somente trará à plena luz as coisas ocultas das trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações; e, então, cada um receberá o seu louvor da parte de Deus.” (1Co 4.5).
Uma coisa que abala nossa segurança e confiança é a palavra negativa por parte das pessoas a nosso respeito. O que pensam e falam de mim. O que vão dizer sobre o que fizemos ou falamos é sempre um problema que tira nossa segurança e confiança. Muitas vezes deixamos de tomar decisões importantes por medo de ser criticados, por não querermos expor nossas falhas para as pessoas que são cruéis, críticas, aproveitadoras, negativistas, caluniadoras, amarguradas com a vida. 
Davi confronta seus acusadores dizendo: Até quando vocês vão continuar me insultando? “Até quando tornareis a minha glória em vexame”. Ele deixa claro que o importante é o que Deus pensava dele. Toda acusação falsa iria um dia desaparecer, a verdade prevaleceria sobre a mentira (“o SENHOR distingue para si o piedoso”). Deus trata com cuidado os seus fiéis. Ele defende a causa de seus filhos. 
Agradar aos homens pode ser uma prática muito perigosa. Podemos facilmente agradar a muitos, desagradando a Deus. Podemos também descansar e nos contentar com os elogios das pessoas, deixando de fazer a vontade de Deus. Mas devemos nos preocupar menos com o que os outros vão pensar, importando muito mais com o que Deus pensa de nós. Não vivamos para satisfazer os homens, mas para agradar a Deus.


Em Deus, somos guardados em paz e em segurança.