quinta-feira, 8 de junho de 2017

Tempo para orar

1Tessalonicenses 5.16-22

“Com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos” (Ef 6.18).

Philip Yancey em seu livro “Oração” conta uma história do pastor Ben Patterson. Em um incidente ele rompeu uma articulação e o médico lhe prescreveu seis semanas de repouso total. Sob efeito de medicação pesada e deitado de costas, ele descobriu que a leitura era praticamente impossível. Neste estado de incapacitação, aprendeu uma lição importante sobre a oração. Disse o pastor Ben: Eu estava desolado. Como cuidaria de minha família? E como ficaria a igreja? Por puro desespero, resolvi orar pela igreja. Com o passar das semanas, a oração se tornou suave. Um dia, perto do fim da convalescença, eu estava orando e disse ao Senhor: “Sabe, foram maravilhosos estes dias prolongados que passamos juntos. É uma pena que eu não tenha tempo para isso quando eu estou bem de saúde”.  A resposta de Deus veio rápida e cortante. Disse-me ele: “Ben, quando está com saúde você tem exatamente o mesmo tempo que tem quando está doente.” 
Essa história evidencia um problema. Quando está tudo bem, esquecemos o quanto precisamos de orar, de manter uma comunhão profunda com o Senhor. Quando estamos doentes e passamos por tribulação logo buscamos a Deus. É preciso reconhecer que em todos os momentos é importante viver na dependência da oração. A oração não é um dispositivo que só deve ser acionado na hora da emergência. A oração é como o ar que devemos respirar em todo tempo. 


A falta de oração causa a morte espiritual.