quarta-feira, 14 de junho de 2017

Terrível angústia

Deuteronômio 4.30-31

“Invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás.” (Sl 50.15).

“Depois de muitas quedas, eu descobri que, às vezes, quando tudo dá errado, acontecem coisas tão maravilhosas que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo…” (Mario Quintana).
Há momentos que passamos por angústias e dores que nos deixam sem saber o que fazer. Ficamos sem posição. Como uma pessoa doente na cama que não importa o lado que se deita, ainda dói. Tentamos de tudo e o desconforto não cessa. Como disse Jó: “Se eu falar, a minha dor não cessa; se me calar, qual é o meu alívio?” (Jó 16.6). Falar de nossa dor não resolve, sofrer calado também não adianta nada. Até mesmo a oração parece não surtir efeito. Eu sei que Deus está me ouvindo, mas não encontro consolo.  
Esta terrível situação só pode ser contornada com confiança. Confiar é olhar para o passado e perceber que já passamos por outras provações e, no momento certo, Deus mostrou sua fidelidade. Confiar é olhar para o futuro com esperança, pois mesmo que a noite seja a mais escura de nossa alma, podemos ter certeza de que, após as noites mais escuras, é que nascem os mais lindos dias. 


Está chegando, o Deus provedor não pode ser impedido de demostrar seu amor.