quarta-feira, 5 de julho de 2017

Cobrir o pecado

Gênesis 9.18-27

“Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados” (1Pe 4.8).

Acima de tudo, amem sinceramente uns aos outros, pois o amor perdoa muitos pecados (1Pe 4.8 NHTL). O que Pedro está ensinando é que quem realmente ama, ama independente dos pecados, dos erros. Vê primeiro a pessoa e não seus pecados. Não tem prazer em mostrar o pecado alheio, como faz quem tem ódio pelo outro. O ódio descobre pecados – Quando estamos com raiva de alguém procuramos falar dos seus pecados. O amor cobre pecados: “O ódio excita contendas, mas o amor cobre todas as transgressões” (Pv 10.12).
Warren Wiersbe ilustra esse ponto com clareza: “Gênesis 9.18-27 apresenta uma bela ilustração desse princípio. Noé embebedou-se e se descobriu de modo vergonhoso. Seu filho, Cão, viu a vergonha do pai e contou para a família. Em uma demonstração de terna preocupação, dois irmãos de Cão cobriram o pai e sua vergonha. Cão anunciou a vergonha. Viu e saiu a contar... Sem e Jafé cobriram a vergonha do pai - pegaram uma capa, puseram sobre os seus próprios ombros, foram andando de costas e com a capa cobriram o seu pai, que estava nu. Cobriram e nem viram”. 
Quando eu fico sabendo de alguma coisa errada, conto ou cubro? Quero conhecer os detalhes e proclamar o pecado ou amo e cubro o pecado? O amor cobre o pecado. Isso não quer dizer encobrir o pecado, nem ser conivente com ele – o que seria errado – mas cobrir, resolver o problema, ajudar. “Não devemos ter dificuldade em cobrir os pecados dos outros, pois, afinal, Jesus Cristo morreu para que nossos pecados fossem cobertos com seu sangue” (Hernandes Dias Lopes). 


O ódio tenta vencer o mal com vingança, o amor vence o mal com o bem.