sexta-feira, 14 de julho de 2017

Continuarei a regozijar-me

2Coríntios 1.8-11

“Porque estou certo de que isto mesmo, pela vossa súplica e pela provisão do Espírito de Jesus Cristo, me redundará em libertação” (Fp 1.19).

Muitas situações nos fazem desanimar. Entre tantas coisas que buscamos nesta hora, muitas vezes nos falta a intercessão. Digo a intercessão, oração de outras pessoas a nosso favor. Para que isso aconteça, devemos nos abrir mais, nos aproximando de pessoas boas, piedosas. Precisamos ter a coragem de compartilhar nossa ansiedade ou pelo menos, sem contar muitos detalhes, pedir que orem por nós. 
Intercessão é a fervente petição pelo cumprimento de uma necessidade definida através das súplicas e orações dos irmãos. Paulo dava muito valor a intercessão. Ele tanto intercedia pelos outros (Fp 1.3-5), como pedia e era abençoado com a oração dos irmãos (1Ts 5.25; 2Ts 3.11). 
Ele acreditava que a intercessão era acompanhada pela ação do Espírito Santo com auxílio em suas necessidades. Em Romanos 15.30, Paulo pede oração dizendo: “Rogo-vos, pois, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e também pelo amor do Espírito, que luteis juntamente comigo nas orações a Deus a meu favor.” Ele ainda acrescenta: “para que eu me veja livre”. 
Mas acima de tudo, na mente de Paulo estava o desejo de glorificar a Deus. Se o livramento era resposta de oração, toda glória devia ser dada somente a Deus. “Finalmente, irmãos, orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague e seja glorificada, como também está acontecendo entre vós” (2 Ts 3.11). 


Orai por mim! Acompanhado pela intercessão, continuarei a regozijar-me.