sexta-feira, 28 de julho de 2017

Olhe para cima

Salmo 123.1-4

“Alegra a alma do teu servo, porque a ti, Senhor, elevo a minha alma” (Sl 86.4).

Dois irmãos foram convocados  para a guerra. Durante a batalha, escreviam aos seus pais para falar do dia a dia no acampamento. Um deles relatava: “Aqui é muito ruim. Há muita lama, insetos que nos picam incessantemente, e o barulho dos bichos nos metem medo. As bombas explodem cada vez mais perto de nós. É um desconforto muito grande. Aqui tudo é feio, além da própria escuridão”. O outro, sem saber dos assuntos do irmão, escrevia: “Não obstante estarmos em batalha, o lugar onde acampamos é muito bonito. A lua tem um brilho maravilhoso, sob o som de grilos e outros animais. Vejo a beleza das estrelas e outras luzes celestiais que nos dão ânimo, refletindo uma nova esperança a cada dia”.
Reparou a diferença entre os dois? A diferença entre os dois irmãos estava no direcionamento da visão: um olhava para baixo; o outro, para cima. Não adianta olhar para os montes, se o socorro vem do céu. Não é possível olhar para as derrotas, esperando ter o coração fortalecido. É preciso olhar para cima, é preciso confiar nas promessas de vitória e nelas alegrar nosso coração. Em nossa caminhada, não devemos deter os nossos olhos por muito tempo naquilo que não pode acrescentar, ajudar, renovar nossa esperança. Em nossos dias é preciso buscar o que é melhor. Ficar próximo de pessoas boas. Olhar e fixar a memória nas muitas coisas boas que nos são proporcionadas a cada dia. Na maioria das vezes, a diferença está mais em como descrevemos a vida do que no que realmente ela é. Todos passamos por problemas e dificuldades, a diferença pode estar em como passamos por elas. 


Para os céus levanto os meus olhos.