quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Mulheres submissas

1Pedro 3.1-6

“As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor” (Ef 5.22).

Falar sobre a submissão da mulher ao seu marido é sempre um tema polêmico. Isso porque existe uma falta de compreensão do que realmente é e o que não é submissão. Submissão não significa inferioridade - Homem e mulher foram criados a imagem e semelhança de Deus e possuem a mesma dignidade. O gênero feminino não é inferior ao gênero masculino. Submissão da mulher é ao seu marido - As mulheres não devem ser submissas a todos os homens só por serem mulheres. Submissão da esposa a seu marido não é cega - Tem limites. A esposa não está obrigada a se submeter ao marido quando este se insurge contra os princípios de Deus. O preceito divino é: “…Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens” (At 5.29b). 
A palavra “submissão” é um termo militar que significa “sob uma hierarquia”. Deus estabeleceu, na criação, vários níveis de autoridade: Deus é o cabeça de Cristo, Cristo é o cabeça de todo homem, e o homem é o cabeça da mulher (1Co 11.3; 1Pe 1.13-14). Ser submissa é cumprir seu papel na parceria do casamento. Sede vós, igualmente, submissas... (3.1a). A palavra “igualmente” significa “também” ou “do mesmo modo” e remete ao exemplo de Jesus Cristo (2.21-25). Assim como Jesus foi submisso à vontade de Deus, a esposa deve seguir o seu exemplo. A submissão da esposa ao marido é um mandamento. “Mulheres, sede vós, igualmente, submissas a vosso próprio marido...” (3.1a). A submissão da esposa a seu marido é como ao Senhor, por causa do Senhor, porque ele ordenou.


Mulheres submissas são verdadeiras testemunhas da palavra em seu lar.