quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Perdas ou ganhos?

Mateus 16.24-28

“E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe [ou mulher], ou filhos, ou campos, por causa do meu nome, receberá muitas vezes mais e herdará a vida eterna” (Mt 19.29).

Howard Hendricks nos conta: “Quando eu era menino, gostava de andar a esmo pelo parque perto de casa e observar alguns homens idosos jogando damas. Certo dia, um deles convidou-me para jogar. A princípio, o jogo parecia fácil. ‘Comi’ uma peça dele e, depois, outra. De repente, ele pegou uma peça e foi saltando várias outras pelo tabuleiro, até chegar ao lado oposto, e gritou: - Fiz uma dama! Após dizer isso, ele ‘comeu’ todas as minhas peças. Naquele dia, aprendi o que significa visão de longo alcance. Ninguém se importa em perder algumas peças se estiver com os olhos fixos no lado oposto do tabuleiro, ou seja, no território da dama.”
A Bíblia fala sobre algumas “perdas” que são ganhos. Diz que quem perder a sua vida por causa de Jesus e do evangelho, achá-la-á, salvá-la-á (Mt 16.25). Quem deixar casa, irmãos, irmãs, receberá muitas vezes mais (Mt 19.29). Paulo chega a dizer que os que se utilizam do mundo, deveriam viver como se dele não usassem (1Co 7.31a). O motivo desta vida de aparentes perdas é porque devemos manter nossos olhos fixo no lado oposto do tabuleiro, ou seja, no território celeste e não neste mundo. A aparência deste mundo passa (1Co 7.31b). “Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?” (Mt 16.26). Na vida, podemos passar por várias perdas. Elas podem ser desconfortáveis, doloridas, angustiantes. Mas se cooperam para o nosso bem, não devemos nos importar tanto. 


Quem tem os olhos na vitória, se fortalece mesmo diante das perdas do caminho.