segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Resolvendo conflitos

Gálatas 5.24-26 

Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo (Gl 6.2).

A história da frase famosa “Pôr em pratos limpos”, conforme Dionísio da Silva, é a seguinte: O primeiro restaurante foi aberto na França em 1765. Estabeleceu-se desde o início que a conta seria paga após a pessoa comer, ao contrário do que depois veio a acontecer com os lanches rápidos. Quando o dono ou garçom vinha cobrar a conta e o cliente ainda não havia feito a refeição, os pratos limpos eram a prova de que ele nada devia. A frase passou a servir de metáfora na resolução de conflitos. 
Precisamos pôr em pratos limpos, resolver os conflitos que porventura estejam acontecendo.  Conflitos deixados de lado, mesmo que pequenos, podem gerar um grande desconforto. Atrapalham a nossa comunhão com as pessoas e com Deus. 
Paulo fala em Gálatas 5 sobre as obras da carne e o fruto do Espírito. Estão entre as obras da carne: ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas. Atitudes que devemos evitar. Paulo diz que os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências. “Não nos deixemos possuir de vanglória, provocando uns aos outros, tendo inveja uns dos outros” (Gl 5.26).
Além de não vivermos criando conflitos, devemos resolver os que surgirem no caminho. Resolver conflitos não é sair como um garçom de mesa em mesa, cobrando os outros. Às vezes, mais do que cobrar, é preciso perdoar. Mais do que colocar carga nas costas do outro, devemos levar as cargas do outro. Ajudar o próximo a se corrigir, lembrando que também podemos falhar.

Resolvemos conflitos quando andamos no Espírito.