domingo, 24 de setembro de 2017

A vida

Salmo 62.5-8

“O Senhor o protege, preserva-lhe a vida e o faz feliz na terra” (Sl 41.2a).

O médico Roberto Shinyashiki conta que, quando era recém-formado em São Paulo, trabalhou em um hospital de pacientes terminais. Ele disse: Todos os dias morriam nove ou dez pacientes. Eu sempre procurei conversar com eles na hora da morte. A maior parte pegava o médico pela camisa e dizia: “Doutor, não me deixe morrer. Eu me sacrifiquei a vida inteira, agora eu quero aproveitá-la e ser feliz”. Eu sentia uma dor enorme por não poder fazer nada. Ali eu aprendi que a felicidade é feita de coisas pequenas. Ninguém na hora da morte diz se arrepender por não ter aplicado o dinheiro em imóveis ou ações, ou por não ter comprado isto ou aquilo, mas sim de ter esperado muito tempo ou perdido várias oportunidades para aproveitar a vida.
Interessante esta frase: A felicidade é feita de coisas pequenas. Infelizmente muitos só descobrem isso quando já não tem tempo ou forças para viver. Tenhamos cuidado para não nos distrairmos desta verdade, vivendo para alimentar a ganância, escravos do consumismo, envolvidos com muitas atividades vazias. O homem vive em busca de sucesso, de felicidade e só consegue ficar cada dia mais infeliz. As pessoas vivem consumindo coisas, e a cada dia estão mais doentes de desejo. O mais importante da vida é poder viver em paz, observando os ensinos da Palavra de Deus; poder ter boas companhias, pessoas que compartilham da mesma fé que nós. Não temos que viver em busca da felicidade, é ela que vem ao nosso encontro. É Deus quem nos dá a felicidade e podemos desfrutá-la todos os dias. “Felicidade não é uma meta, mas um estado de espírito” (Dr. Roberto). 


Viver, só se for com qualidade.