quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Pão da vida

João 6.22- 35

“Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede” (Jo 6.35).

Pão, sustento, vida. Acordamos cedo e vamos trabalhar. Ganhar o pão de cada dia. Mas não é só o pão. Cada vez mais corremos atrás, do pão, da diversão, das roupas de marca, de muitas coisas supérfluas que se tornaram necessidade. Será que entendemos errado? Jesus disse: Não só de pão viverá o homem. Ele não estava dizendo que, além do pão, deveríamos buscar outros bens materiais. Ele deixa claro que o pão era necessário, mas não o mais importante. Melhor que o pão material era o pão espiritual. Além do pão, devemos viver nutridos da palavra de Deus. Devemos alimentar nosso corpo sem deixar de alimentar nossa alma. Concordo com o que diz o Rev. Luiz Henrique Filho: “Cristo, o Filho de Deus, diz de maneira tão clara: Eu posso preencher esse vazio existencial. Eu posso dar sentido à sua vida. Eu sou o alimento que sustenta em você o que não perece. Você nunca será plenamente satisfeito enquanto buscar plenitude de vida nas coisas dessa terra. Nada poderá satisfazer seu carente interior, a não ser Jesus”.
Jesus é o pão da vida. Nele temos as nossas necessidades satisfeitas. Jesus olha com compaixão para aqueles que estão famintos, carentes e buscam alimentar-se dele. O alimento que a Palavra de Deus produz é capaz de dar nova esperança aos desesperados. Ele é alegria, ânimo e coragem, fortalece o cansado, renova as forças daquele que não tem nenhum vigor. Trabalhai por essa comida que não perece. 


Há pão com abundância nos celeiros celestiais.