segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Omissão

Tiago 4.16-17

“Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando” (Tg 4.17). 

O pecado da omissão é um grande mal. Deixar de fazer o bem tem sido um grande mal. As pessoas se escondem em seus desejos e planos e não mais percebem o que deve ser feito pelo próximo. O bem que deve ser feito para os outros tem sido negligenciado e desmerecido. Planos individualistas, sem ação em favor do próximo, são pecado de arrogância e negligência. Muitos hoje, como os fariseus, estão tão ocupados com suas atividades e compromissos “sagrados” que podem passar por um necessitado, ou diante de algo importante que devam fazer, e facilmente se excluírem de qualquer atitude. Desmerecem o fato, se justificam e estão convencidos de que não estão pecando. O fato é que quando temos nas mãos a possibilidade de fazer o bem, e optamos por não fazê-lo, estamos fazendo o mal. A Bíblia considera a falta de fazer o bem como um mal em si mesmo. 
Portanto, há somente um caminho para esta sociedade de coração individualista. Reconhecer a vontade de Deus para sua vida, alegrar-se no Senhor e obedecer à sua vontade. É preciso deixar as desculpas, é preciso deixar o vazio das realizações egoístas e fazer o que deve ser feito. Se buscarmos conhecer qual é a vontade de Deus para nossas ações faremos o bem não apenas a nós mesmos, mas também ao nosso próximo. 

Nossa missão é muito mais importante do que nossos desejos pessoais.