quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Inveja

Tiago 3.16-18

“Então, vi que todo trabalho e toda destreza em obras provêm da inveja do homem contra o seu próximo. Também isto é vaidade e correr atrás do vento” (Ec 4.4). 

Inveja é um péssimo negócio. Pior do que a cobiça. Enquanto cobiça é desejar aquilo que é do outro, inveja é sentir-se mal pela felicidade alheia. O invejoso sente-se incomodado em ver a felicidade de outra pessoa. Não quer ter o que o outro tem, só não quer que o outro tenha. A inveja é destrutiva. O invejoso não suporta saber que é inferior a alguém, que tem sua capacidade limitada pelo brilho do outro. Inveja vem de invidere, não ver, em latim. O invejoso não vê a si mesmo, só enxerga o outro. Se enxerga através da comparação com os outros. “O que o outro parece conseguir de forma tão rápida, eu não consigo ou não tenho”. A inveja precisa ter ao lado o objeto invejado, por isso invejamos coisas próximas. Invejamos pessoas que estão perto. 
Salomão faz uma revelação assustadora. Que todo trabalho e toda destreza em obras provêm da inveja do homem contra o seu próximo. Este versículo de Ec 4.4 na NTLH diz: “Descobri por que as pessoas se esforçam tanto para ter sucesso no seu trabalho: é porque elas querem ser mais do que os outros”. Infelizmente, muita gente quer emagrecer porque não suporta ver seu amigo magro, quer ganhar dinheiro para ter um carro mais caro do que o de seu vizinho, etc. Salomão diz que isso é inveja e também vaidade. Afaste-se, fuja da inveja. Pare de olhar para os outros usando-os como espelho. Olhe para si mesmo, seja você mesmo. Veja o que Deus quer realizar através  de você. Olhe para o outro com amor, fique feliz pelas conquistas de seu próximo. 


A inveja é um veneno, o amor a cura.