segunda-feira, 26 de março de 2018

É real?

Lucas 16.10-15

Como dente estragado ou pé deslocado é a confiança no hipócrita na hora da dificuldade (Pv 25.19).

Será que é fácil identificar entre as pessoas quem é mais digno de confiança? Um mestre tinha centenas de discípulos. Todos meditavam na hora certa, exceto um, que vivia bêbado. O mestre foi envelhecendo. Alguns dos alunos mais virtuosos começaram a discutir quem seria o novo líder do grupo, aquele que receberia os importantes segredos da tradição. Na véspera de sua morte, porém, o mestre chamou o discípulo bêbado e lhe transmitiu os segredos ocultos. Uma verdadeira revolta tomou conta dos outros. - Que vergonha! - gritavam pelas ruas. - Nos sacrificamos por um mestre errado, que não sabe ver nossas qualidades. Escutando a confusão do lado de fora, o mestre, agonizante, comentou: - Eu precisava passar estes segredos para um homem que eu conhecesse bem. Todos os meus alunos eram muito virtuosos e mostravam apenas suas qualidades. Isso é perigoso; a virtude muitas vezes serve para esconder a vaidade, o orgulho e a intolerância. Por isso escolhi o único discípulo que eu conhecia realmente bem, já que podia ver seu defeito: a bebedeira. 
Às vezes, as pessoas que mostram seus defeitos são mais merecedoras de confiança do que aquelas que só apresentam suas qualidades. Muitas pessoas aparentam ser perfeitas, mas escondem graves falhas. Não devemos expor nossos defeitos, mas é importante ter a consciência de que não somos melhores do que os outros só porque as falhas de outras pessoas são mais evidentes. Muitas pessoas que tem seu pecado conhecido, se arrependem e se tornam tão dignas de nossa consideração e, algumas vezes, até mais dignas do que outros que não sabemos quem realmente são. 
A verdade é que não devemos nos acomodar na prática de esconder nosso pecado ressaltando nossas virtudes. Devemos confessar nossos pecados e com humildade fazer o melhor, sem preocupar em chamar a atenção dos outros. Sem pensar que somos melhores que os outros.


Seja realmente digno de confiança.