quarta-feira, 4 de julho de 2018

Eu Vejo

2Timóteo 2.14-19

Eu vi os seus caminhos, mas vou curá-lo; eu o guiarei e tornarei a dar-lhe consolo (Is 57.18).

Esta passagem de Isaías (57.18) é uma grande demonstração do amor e misericórdia de Deus. Deus em sua onisciência conhece nossa vida, nossos pensamentos e caminhos. Conhece nossos acertos e também os nossos pecados. “O Senhor conhece os pensamentos do homem, e sabe como são fúteis” (Sl 94.11). Que grande prova de amor é alguém nos conhecer intimamente e mesmo assim nos amar. Alguém que sabe tudo o que fazemos e mesmo assim não nos abandonar. 
“Eu vejo os seus caminhos, e o sararei”. Aqui está um dos paradoxos do amor e misericórdia de Deus mais sagradamente incompreensíveis, que nos surpreende pelo seu excesso de graça compassiva: “Eu vejo os seus caminhos”, e alguém teria pensado que a frase seguinte seria: “Eu vou puni-lo” ou, pelo menos, “Eu vou repreendê-lo”. Mas, em vez da ira, aqui está o perdão! “Eu vejo os seus caminhos e o sararei!” (Susannah Spurgeon).
A preocupação de Deus não é nos vigiar para nos condenar. Deus quer curar a nossa vida, endireitar os nossos caminhos. Como diz uma canção: “Tu me amas como sou, mas não me deixas como estou”. Deus é paciente conosco a ponto de nos amar conhecendo o nosso passado. Deus é generoso para conosco agindo em nossa vida, nos transformando, nos fazendo andar em seus caminhos. 
Este versículo é um grande alento para nós. Como não se sensibilizar com este grande amor de Deus. Cabe a nós confessar o nome do Senhor, viver como os que lhe pertencem, afastando-nos do pecado e assim nos aproximando mais do seu amor. Quanto mais conhecemos a Deus e suas obras, ficamos mais alegremente surpreendidos por sua bondade. Mais nos comprometemos, buscando realizar sua vontade. A presença de Deus é nosso consolo. Através de seu amor, ele nos disciplina e endireita nosso caminho. “Como é feliz o homem a quem disciplinas, Senhor, aquele a quem ensinas a tua lei”.

O Senhor conhece quem lhe pertence.