sábado, 29 de dezembro de 2018

Louvor


Salmo 147.1-12 

É uma terra da qual o SENHOR, o seu Deus, cuida; os olhos do SENHOR, o seu Deus, estão continuamente sobre ela, do início ao fim do ano (Dt 11.12). 

O salmo 147 é um convite a louvar o Senhor. Começa dizendo como é bom e agradável louvar e exaltar a Deus. Louvar a Deus é um prazer. Não é como uma obrigação ou dever, mas algo realmente agradável de praticar. Toda esta gratidão do salmista decorre de o Senhor ter permitido a reconstrução de Jerusalém após o cativeiro babilônico. É clara a visão dele de que Deus era o responsável por guiar e sustentar seu povo. 
Deus é digno de toda honra, todo louvor, toda glória e majestade. É impossível tentar definir sua grandeza, sua sabedoria e seu amor. Quem conhece Deus, louva-o de forma natural. Como não adorar o grande Deus criador do universo, aquele que determina o número de estrelas e chama cada uma pelo nome? Ninguém sabe com precisão quantas galáxias existem no universo, mas a nossa, a Via Láctea, é apenas uma entre milhares ou talvez milhões. O número de estrelas em cada galáxia chega aos bilhões. Consta que somente a Via Láctea teria cerca de 200 bilhões de estrelas. Se nossa missão de vida fosse apenas contar estrelas, e de forma rápida conseguíssemos contar 10 estrelas a cada segundo, demoraríamos mais de 500 anos contanto. E Deus, além de saber quantas estrelas existem nos céus, também é o criador de todas as coisas existentes no mundo. Muito maior que a força e a agilidade do homem é a boa mão de Deus que guia aqueles que o temem. Estes o Senhor alegra e lhes renova as esperanças. 
Tudo pertence a Deus, a terra e o que nela existe, inclusive o homem. Desta forma, além de louvá-lo, faz todo sentido confiar no Senhor e viver conforme a sua vontade. 
É muito comum cairmos diante de dificuldades, esquecendo que podemos contar com a ajuda do Deus todo-poderoso. É importante lembrar que ele é quem cuida das feridas daqueles que têm coração quebrantado e os cura. 

O mesmo Deus que cuida do universo cuida de nós.