quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Preconceito


Leitura Bíblica: Tiago 2.1-4

Não escolheu Deus os que são pobres aos olhos do mundo para serem ricos em fé e herdarem o Reino que ele prometeu aos que o amam? (Tg 2.5)

Tiago nos exorta, no capítulo 2 de sua epístola, a respeito da necessidade de cuidar para não fazer acepção de pessoas. “Meus irmãos, vocês que creem no nosso glorioso Senhor Jesus Cristo, nunca tratem as pessoas de modo diferente por causa da aparência delas” (Tg 2.1 - NTLH). Ele conta uma história que ilustra este tipo de preconceito: “Por exemplo, entra na reunião de vocês um homem com anéis de ouro e bem vestido, e entra também outro, pobre e vestindo roupas velhas. Digamos que vocês tratam melhor o que está bem vestido e dizem: ‘Este é o melhor lugar; sente-se aqui’, mas dizem ao pobre: ‘Fique de pé’ ou ‘Sente-se aí no chão, perto dos meus pés’. Nesse caso vocês estão fazendo diferença entre vocês mesmos e estão se baseando em maus motivos para julgar o valor dos outros” (Tg 2.2-4 - NTLH). 
Beneficiar alguém em virtude de sua aparência ou condição financeira é fazer acepção de pessoas. A palavra “acepção” significa “avaliar pelo rosto”. Desprezar alguém por ser de condição humilde é inaceitável. É uma demonstração de arrogância, falta de amor e humildade. Isso é julgamento precipitado e discriminatório. Não podemos agir assim. Somos chamados para amar, ajudar, ter misericórdia do nosso próximo, seja ele rico ou pobre. Devemos tratar a todos com amor. Mesmo porque não é dinheiro que define alguém ser rico ou pobre. Muitos pobres de dinheiro são ricos em fé, dignidade. São pessoas mais fáceis de amar do que muitos ricos. Tanto isso é verdade que Tiago diz: “O irmão, porém, de condição humilde glorie-se na sua dignidade” (Tg 1.9) enquanto que para o rico a palavra é: “o rico glorie-se, na sua insignificância, porque ele passará como a flor da erva” (Tg 1.10). A Bíblia diz que devemos amar o próximo como a nós mesmos. Que sejamos sábios em nossos julgamentos, sempre amorosos, sem fazer acepção de pessoas.

Pratiquemos o amor sem preconceito.