segunda-feira, 25 de março de 2019

Firmeza em Deus


Leitura Bíblica: Salmo 57.1-6

Meu coração está firme, ó Deus, meu coração está firme; cantarei ao som de instrumentos! (Sl 57.7)

Conta-se que alguns botânicos exploravam regiões dos Alpes à procura de novas espécies de flores. Através de binóculos eles encontraram uma flor rara com valor incalculável para a ciência. Porém havia uma dificuldade, ela estava na parte inferior de uma encosta muito inclinada. Para pegá-la, alguém precisava descer amarrado em uma corda. Um menino que a tudo observava foi consultado se faria o serviço em troca de um bom pagamento. Ele olhou para o precipício, pensou e disse: “Eu já volto!” Algum tempo depois ele voltou seguido por um senhor com os cabelos já grisalhos. Aproximando-se do cientista ele disse: “Eu descerei para pegar a flor se este homem segurar a corda. Ele é meu pai”. 
Se alguém pode dar-nos segurança e “segurar as cordas” da nossa vida, esse alguém é o nosso Pai Celestial. Ninguém está mais seguro do que aquele que está nas mãos de Deus. Não encontramos a segurança na ausência de perigos, mas na presença de Deus. Quem sempre está com Deus sempre está seguro. Como disse um escritor anônimo: “Quando eu acordar, o Senhor estará comigo. E se eu não acordar, eu estarei com ele”.
O Salmo 57 é de quando Davi fugiu de Saul para uma caverna. Mesmo em meio a perigos e tristeza, ele afirma que seu coração está firme. Esta firmeza foi obtida através da sua confiança em Deus. Davi foi muito vitorioso, suas vitórias não estão relacionadas apenas a sua força. Mas o Senhor o preparava para vencer as batalhas. 
Como Davi, podemos nos firmar em Deus. Exercitar a nossa confiança em Deus, vivendo assim em paz. Hebreus 10.23 diz: “Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois aquele que prometeu é fiel”. Apegue-se a Deus. Consulte a Deus. Firme-se em Deus. Seja mais que vencedor vivendo na presença de Deus. Somos convocados à comunhão e fidelidade. “Tão-somente apeguem-se com firmeza ao que vocês têm, até que eu venha” (Ap 2.25).

Deus presente, perigo ausente.