sexta-feira, 5 de abril de 2019

Enterrado nas dívidas


Leitura Bíblica: Isaías 55.1-3

Depois que todos receberam o suficiente para comer, disse aos seus discípulos: Ajuntem os pedaços que sobraram. Que nada seja desperdiçado (Jo 6.12).

Conta-se que uma senhora foi até o Banco Central, acendeu umas velas na porta de entrada principal e começou a rezar, de joelhos. Quando o presidente chegou para abrir o banco deparou-se com aquele quadro estranho. - Dona, - disse ele à mulher - o que é isso? Lugar de acender velas e rezar é no cemitério. Vá para lá e reze. A mulher então justificou: Mas o meu marido está enterrado é aqui mesmo!
Muitos se encontram enterrados nas dívidas. Pessoas que já nem se importam muito com isso. Mas deixar-se endividar é um problema muito sério. A boa economia proporciona o bem estar na vida e no lar. A maioria dos conflitos são causados por problemas relacionados ao dinheiro. Quem não consegue dominar os seus gastos, acaba sendo dominado por eles. 
Não existe uma formula mágica para resolver este problema. É necessário programar melhor os gastos mensais, colocar no papel receita e despesa para que haja controle da situação. Não gaste mais do que ganhe. Se ganhamos pouco ou muito, não faz diferença. O problema é quando gastamos mais do que recebemos. Não escolha em viver de aparências. Isso é pura vaidade. Não acrescenta nada, só aumenta as dívidas. Tenha prioridades, desafios. Lembre-se delas na hora que for tentado a gastar com besteiras. Aprenda a dar valor ao que realmente é importante. Trabalhe com dedicação e sempre lembre-se que você depende de Deus. Confie em Deus. Ele sempre nos dará o suficiente e necessário para nosso sustento. 
Que possamos viver como Paulo disse: “Aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; Tudo posso naquele que me fortalece” (Fp 4.11-13).

Nossa vida consiste no que somos não no que temos.