quarta-feira, 29 de maio de 2019

Adoração comunitária


Leitura Bíblica: Salmo 121

Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês veem que se aproxima o Dia (Hb 10.25).

Uma nova classe de pessoas tem crescido, os chamados desigrejados. São pessoas que acreditam que é desnecessário participar de reuniões da igreja. Mas se tudo o que fazemos, fazemos em grupo, porque não adorar a Deus junto com outras pessoas? A vida não foi feita para a solidão e isolamento. Comemos em casa, mas também participamos de festas e comemos em restaurantes. Nos exercitamos sozinhos, mas também vamos à academia, temos um grupo de corrida. Adoramos a Deus em nossa casa, oramos no quarto e também nos alegramos quando vamos a uma comunidade cristã. O fim principal do homem é glorificar a Deus e alegrar-se nele. Quando nos reunimos com outras pessoas podemos fazer isso de forma conjunta. Expressamos nossa gratidão publicamente. 
Devemos sim participar de uma comunidade cristã. Um lugar em que possamos estudar a Bíblia. Um lugar que tenha um ensino verdadeiro. E que adorar a Deus realmente seja o propósito desta comunidade. A comunhão é muito importante para edificação. Um ajuda o outro, anima o outro, repreende o outro. A comunhão também é muito importante para a adoração. Podemos juntos cantar, orar, somar nossas forças e adorar a Deus de coração sincero e em altas vozes.  
É muito importante nos reunirmos para a adoração. Hebreus diz que não devemos deixar de congregar, de reunir como igreja. Além de participarmos da igreja, devemos fazer isso com responsabilidade. Alguns até frequentam igrejas, mas não com regularidade. É preciso se envolver mais, conhecer, participar e contribuir no que for possível. 
As pessoas estão tão sedentas por felicidade e a buscam muitas vezes em fontes erradas. Somente em Deus temos plena alegria. Que a busca pela felicidade nos leve cada vez mais a buscar a Deus em nosso lar e também na igreja. 

Alegrei-me com os que me disseram: “Vamos à casa do Senhor”!