terça-feira, 28 de maio de 2019

Repetindo a oração


Leitura Bíblica: Mateus 6.9-13

Ouve as súplicas do teu servo e de Israel, o teu povo, quando orarem voltados para este lugar. Ouve desde os céus, lugar da tua habitação, e, quando ouvires, dá-lhes o teu perdão (1Rs 8.30).

Sabemos que a oração dominical foi proferida por Jesus para ensinar seus discípulos a orar. Como esta oração deve ser usada? “A Oração do Senhor não é somente para direcionamento, como modelo segundo o qual devemos orar; mas também pode ser usada como uma oração, contanto que seja feita com entendimento, fé, reverência e outras graças necessárias para o correto cumprimento do dever da oração” (Catecismo Maior de Westminster, p.187). Devemos e podemos orar a própria oração do Pai Nosso. Como foi explicado na pergunta do Catecismo, ela deve ser repetida por nós. Não como mera repetição de palavras, mas com entendimento. Devemos orar a Deus com compromisso de cumprir o que falamos e pedimos na oração. 
Devemos dizer “Pai nosso que estás nos céus” com confiança na bondade da paternidade de Deus. Falando “Santificado Seja o teu nome” declaramos nosso reconhecimento do caráter perfeito de Deus. Ao pedir “Venha o teu reino”, assumimos o compromisso de buscar primeiro o reino de Deus. Pedimos que o domínio do mal seja afastado de nós. Assim confessamos nosso desejo de realizar a vontade de Deus. Que “Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu”, que a vontade de Deus seja o centro de nosso desejo. Repetindo a petição “O pão nosso de cada dia nos dá hoje” pedimos os suprimentos necessários para o nosso sustento diário. Na oração de Jesus também confessamos os nossos pecados dizendo: “Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também perdoamos aos nossos devedores”. Reconhecemos que somos pecadores e que Deus pode conceder perdão. Falamos “Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal”, desejamos a proteção de Deus, que ele nos mantenha vigilantes, nos libertando do pecado de cair em tentação. 

Confie e ore, o mais Deus fará.