sexta-feira, 26 de julho de 2019

Não julgueis!


Leitura Bíblica: 1 Coríntios 4.3-5

Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça (Jo 7.24).

Mentalmente emitimos julgamentos o tempo todo. Como dizem, temos imaginação fértil. Fazemos previsão do tempo. Somos analistas financeiros. Imaginamos que alguém não gosta de nós. Julgamos que alguém é preguiçoso ou que está fingindo estar doente. Às vezes imaginamos diversas possibilidades de um mesmo acontecimento ou pessoa. Hora achamos que coisas boas irão acontecer e logo depois esperamos o pior. 
O problema não está em imaginar e emitir juízo sobre as coisas. O problema é a falta de critério nos julgamentos. O perigo do relativismo, quando uma verdade depende da opinião de alguém, é não ser realmente algo verdadeiro. É grave falha dos julgamentos falsos. 
Paulo foi duramente criticado e julgado quando fazia o seu trabalho como missionário. Em 1Coríntios 4, ele afirma que eles não deveriam julgá-lo e que nem ele mesmo tinha capacidade de julgar a si mesmo. Filósofos gregos e romanos acreditavam que a consciência era o supremo juiz. Paulo diz que mesmo a consciência pode nos trair. O único julgamento perfeito é o julgamento de Deus, porque ele conhece todas as circunstâncias e todas as motivações. Devemos ser mais cautelosos em emitir julgamentos. “Nada julgueis antes do tempo” (1Co 4.5a). 
Existem coisas que falamos a respeito de pessoas e circunstâncias que não contribuem em nada. E quando o que falamos é negativo, além de não acrescentar nada, pode prejudicar. Vivemos num tempo em que, devido a facilidade de se expressar através de redes sociais e grupos de mensagens, muitos logo vão dando a sua opinião sem conhecer sobre o que estão falando. E pior ainda, julgando e ofendendo os outros sem preocupar-se com isso. Atrás da tela de um computador muitos se escondem e sem critério julgam os outros. Por isso, muitas discussões desnecessárias surgem. Lucas 6.37 diz: “Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados”. 

Troque falsos julgamentos por paciência, perdão e paz.