sábado, 3 de agosto de 2019

Fonte a jorrar


Leitura Bíblica: João 4.13-14

Mas quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Ao contrário, a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna (Jo 4.14).

Encontramos muitos ensinamentos em João 4, na conversa de Jesus com a mulher Samaritana. Gostaria de destacar o verso 14. Nele Jesus diz que quem beber da água da vida, além de não mais ter sede, se torna uma fonte a jorrar. Quem recebe Jesus, recebe a vida e a salvação e se torna uma fonte de bênçãos para outras pessoas. Como filhos de Deus temos vida abundante e transbordante. Oswald Chambers disse o seguinte sobre isso: “Devemos ser fontes através das quais Jesus possa fluir como rios de água viva, em bênçãos para todos. Alguns de nós são como o mar Morto, sempre recebendo, mas nunca dando, porque não acertamos nosso relacionamento com o Senhor Jesus. Assim como recebemos a graça de Jesus, ele fluirá através de nós para outros; e se ele não estiver fluindo, isso indicará que há uma falha em nosso relacionamento com ele”. 
Eu sempre olhava este versículo pensando na bênção de receber desta água que mata a sede, que satisfaz e dá alegria. Mas é importante ver que aqui está a bênção maravilhosa do poder compartilhar desta água. De não apenas receber a vida eterna, mas tornar-se “uma fonte de água que dará vida eterna” (Jo 4.14b NTLH). Nós anunciamos Jesus. É através da pregação do evangelho que outras pessoas recebem a mesma água da vida que recebemos. 
A comparação que Jesus faz é muito forte. Ele não diz que vamos apenas falar algumas palavras de incentivo às pessoas ou que vamos dar um bom testemunho de vez em quando. Jesus fala que seremos como um rio fluindo continuamente. Fluirão rios de água viva daquele que vive com Jesus. Devemos nos manter junto à fonte, vivendo na presença de Deus, alimentando-se sempre da verdade e conservando firmes a fé. “Encha-se continuamente e a doçura do relacionamento vital com Jesus fluirá de você com a mesma profusão com que lhe foi transmitida” (Oswald Chambers). 

Seja um manancial a jorrar para os outros.