terça-feira, 22 de abril de 2008

Cadê a fé?

Lucas 8.22-25

Ainda que um exército se acampe contra mim, meu coração não temerá; ainda que se declare guerra contra mim, mesmo assim estarei confiante (Sl 27.3).

Onde está a sua fé? Esta é a pergunta que Jesus fez aos seus discípulos que estavam temendo perecer na tempestade. Muitas vezes, nos problemas da vida, somos tomados por medo e insegurança, nos esquecendo da fé. Foi o que aconteceu com aqueles homens quando os ventos sopraram mais forte e o barco perdeu a estabilidade. Ficaram apavorados e se esqueceram do poder de quem estava com eles no barco.
É preciso colocar a fé em prática no momento de maior emergência. Jesus não repreende aqueles homens por não terem fé, mas por eles não colocarem a sua fé em ação. Quem tem Jesus em sua vida, no lugar do pânico e da agitação, deve se acalmar. Com Cristo no barco, ele não pode naufragar. Aqueles discípulos já tinham presenciado em suas vidas exemplos do poder de Jesus. Eles viram Jesus fazendo milagres, curando pessoas. Deveriam ter confiado que Jesus não iria deixá-los perecer.
Quando entendemos quem é Jesus e como ele é poderoso, quando olhamos para tudo o que Ele já fez, temos fé para crer que Ele pode fazer muito mais em nossas vidas.
Como aquele vento que veio subitamente sobre eles no barco, teremos ventos soprando contra nós. A vida é inconstante. Deus permite o balançar do barco e as tempestades. Elas provam a nossa fé. São oportunidades de expressá-la. Jesus nos convida a ter uma fé dinâmica. Uma fé que está à mão. Não escondida e esquecida, mas uma fé prática que busca o Senhor e percebe a sua presença a cada momento.
Se você se encontra nessa posição de prova, perturbação e teste, considere isso como uma oportunidade maravilhosa de exercitar a sua fé, de manifestá-la. A palavra de Jesus é suficiente para acalmar o mar agitado da vida. No lugar do medo e do espanto com as ondas podemos ficar admirados e felizes vendo o livramento de Jesus.

Devemos confiar e descansar em Deus independentemente das circunstâncias.