domingo, 22 de setembro de 2019

Enfrente seus problemas


Leitura Bíblica: 1 Reis 2.1-4

Pois guarda a vereda do justo e protege o caminho de seus fiéis (Pv 2.8).

Uma lenda de autor desconhecido conta que um ladrão entrou numa fazenda e roubou 200 cebolas. Antes de conseguir fugir, foi preso pelo dono do lugar, que o levou diante do juiz. O magistrado pronunciou a sentença: pagar dez moedas de ouro. Mas o homem alegou que era uma multa muito alta, e o juiz, então, resolveu oferecer-lhe mais duas alternativas: receber 20 chibatadas ou comer as 200 cebolas. O ladrão resolveu comer as 200 cebolas. Quando chegou na vigésima quinta, seus olhos estavam inchados de tanto chorar, e o estômago queimava. Como ainda faltavam 175, e viu que não aguentaria o castigo, pediu para receber as 20 chibatadas. O juiz concordou. Quando o chicote bateu em suas costas pela décima vez, ele implorou para que parassem de castigá-lo, porque não suportava a dor. O pedido foi obedecido, mas o ladrão teve que pagar as dez moedas de ouro. “Se você aceitasse a multa, teria evitado comer as cebolas, e não sofreria com o chicote”, disse o juiz. “Mas preferiu o caminho mais difícil, sem entender que, quando se faz algo errado, é melhor pagar logo e esquecer o assunto”.
Enfrentar as adversidades e encarar os problemas deve ser nosso objetivo. A tendência de atrasar tarefas, fugir dos problemas traz graves consequências. Quem demora a cuidar de um resfriado, pode ser obrigado a tratar uma pneumonia. Quem não paga suas contas, pode contrair uma dívida impagável. 
Existe uma fé falsa que tenta acreditar que podemos conquistar muitas coisas sem esforço. Jesus disse que o construtor sábio é aquele que edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou o alicerce sobre a rocha (Lc 6.48). Não pense que pode obter sucesso com facilidade, edificando sua casa perto do leito de rios transbordantes. 
É enfrentando as maiores batalhas que vamos experimentar da presente ajuda de Deus. As lutas que se apresentarem a nós, devemos lutá-las. 

Quem foge da luta é um candidato à derrota. 

sábado, 21 de setembro de 2019

Quando ferido!



Leitura Bíblica: Lucas 1.76-79

Porque para Deus somos o aroma de Cristo entre os que estão sendo salvos e os que estão perecendo (2Co 2.15).

É quase sempre assim. Discutimos com alguém, depois nos arrependemos e falamos baixinho conosco mesmo: “Eu não quero brigar mais com ninguém, quero ser gentil e tratar bem todas as pessoas”. Mas, depois de algum tempo, alguém pisa em nosso calo e reagimos, revidamos, brigamos. O Rev. Marcos Garcia, falando sobre o que devemos fazer quando somos feridos, conta a história do terebinto, arbusto natural do Mediterrâneo, que tem uma característica maravilhosa: ela exala um delicioso perfume. Mas quando é que isso ocorre? O perfume do terebinto é exalado quando ele é ferido, machucado. “Quanto mais machucado, mais o bom perfume do terebinto é exalado. Somos o bom perfume de Cristo (2Co 2.15). O cristão foi chamado para exalar o bom perfume de Cristo em todas as situações. Quantas vezes somos machucados por situações adversas? Por pessoas que nos pagam o bem com o mal? Por filhos ingratos? Cônjuges ingratos? Amigos ingratos? Jesus nos ensina a pagar o mal com o bem, a dar a outra face e exercer o perdão. O terebinto exala o bom perfume quando ferido. Que você exale o bom perfume de Cristo mesmo quando ferido” (Rev. Marcos Garcia).
Esta deve ser nossa luta constante. O maior aprendizado que podemos ter é aprender a ser gentis, a amar as pessoas mesmo que elas estejam nos perseguindo. É resistir a dor da contradição, do desprezo, da traição. Não pagar o mal com o mal. É certo que situações adversas irão surgir a qualquer momento, mas ainda não é certa a forma que iremos agir. Podemos sim reagir bem. Não brigar, tratar bem aquele que nos deixou nervosos. Jesus, em sua maior dor, derramou seu sangue na cruz por nós. Foi no seu momento mais difícil que ele exalou maior amor. “Que precioso sangue o Senhor verteu, quando, para resgatar-nos, padeceu!” (Hino 267 - HNC). É no sangue de Jesus que temos paz. E por conhecermos Jesus exalamos desta sua paz. 

Busque a paz, viva em paz. 

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

A certeza da oração


Leitura Bíblica: Mateus 7.7-8 e 11

Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes (Jr. 33.3).

Em nosso texto base o título que está escrito na Bíblia é: “Jesus incita a orar”. Ao ouvirmos este chamado de Jesus à oração, podemos ter a certeza de que coisas boas iremos alcançar se orarmos como ele nos ensina. 
A certeza da oração é que “aquele que pede, recebe” (Mt 7.8). É bom observar que Cristo não afirma que aquele que pede, recebe justamente o que pede. Em nossa experiência já vimos isso. Muitas coisas que pedimos não recebemos. A Palavra somente diz: “Aquele que pede, recebe”. É claro que Deus sabe melhor do que nós o que realmente precisamos e se nós, como filhos, pedimos mal, Deus não dará exatamente o que pedimos. Por exemplo: Um filho que pede para seu pai um revólver não será atendido. 
A certeza da oração é que aquele que pede, recebe alguma coisa. Eis a certeza! A oração não deixa de ser atendida. Podemos não receber exatamente o que pedimos, mas vamos receber algo. Deus a ninguém despede com as mãos vazias. Esse é o caso com os nossos filhos também. Um bom pai quer atender às necessidades de seu filho. Deus é nosso pai e provedor. Devemos sempre orar, mesmo não sabendo orar ou o que pedir. 
A certeza da oração é que aquele que pede, recebe boas coisas. Mateus 7.11 diz: “Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quanto mais o Pai de vocês, que está no céu, dará coisas boas aos que lhe pedirem”. Deus tem um tesouro de bens e sua promessa é dar boas coisas àqueles que oram e pedem. 
A certeza da oração então é que nem sempre vamos receber o que pedimos, mas sempre vamos receber alguma coisa boa. Deus nos dá o que necessitamos, não importa se recebemos o que pedimos ou não. Graças demos a Deus que, embora nos equivoquemos em nossos pedidos, ele nunca se engana nas dádivas que nos faz. Jesus nos convida a orar. Tenhamos a certeza de que grandes coisas podemos esperar se aceitarmos este convite.

A oração é o clamor da alma necessitada a Deus.

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Consolo certo


Leitura Bíblica: Salmo 77.7-12

O SENHOR abre os olhos aos cegos, o SENHOR levanta os abatidos, o SENHOR ama os justos (Sl 146.8).

Quando estamos abatidos parece que nada faz sentido. Não temos força para trazer a memória o que possa nos dar esperança. Mas Deus sempre providencia maneiras de nos reerguer. Ele transforma nosso pranto e dor em alegria. O Senhor levanta os abatidos. “É maravilhoso saber de tal verdade. É fantástico descansar nessa extraordinária promessa. Estou pleno do conforto do meu Deus. Estou cheio de felicidade e posso em Deus me regozijar. Quando me sinto abatido e encurvado eu encontro o meu Deus nas páginas da Escritura e lá o consolo para o meu coração, e tenho absoluta certeza de que para o seu também. Ele me disse enquanto lia a sua palavra: ‘Eu estou contigo. Não te deixarei. Eu sou o Senhor que levanta os abatidos’. A Palavra renova. A Palavra vivifica. A Palavra encoraja. A Palavra fortalece. A Palavra ilumina. A Palavra liberta. Sinto-me forte em Deus. Vou começar esse dia com essa marca indelével em meu coração” (Luiz Henrique Filho). 
Em alguns momentos sentimos medo, abatimento, mas nunca seremos abandonados em nossa dor. O nosso socorro vem do Senhor que fez o céus e a terra. Ele é nosso abrigo, consolo certo e seguro. Deus faz incontáveis maravilhas. “Faz chover sobre a terra e envia águas sobre os campos, para pôr os abatidos num lugar alto e para que os enlutados se alegrem da maior ventura” (Jó 5.10-11). 
Quando silenciamos o nosso coração por um momento, quando nos rendemos a Deus, podemos sentir sua presença e achar consolo. “Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos” (Is 57.15).
Que Deus seja o consolo do seu coração, o companheiro de todas as horas. O Espírito de Deus nos acompanha todos os dias e nos fortalece. 

Deus é a esperança de um novo dia. 

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

O nariz do camelo


Leitura Bíblica: Salmo 101.1-4

O Senhor o protegerá de todo o mal, protegerá a sua vida (Sl 121.7).

Certa noite muito fria, um Xeique estava deitado em sua tenda quando um camelo afastou as abas de entrada e ficou espiando lá dentro. - Eu imploro, meu amo, disse o camelo, permita-me deixar meu nariz aqui dentro. Está frio demais lá fora. - Pois muito bem, bocejou o Xeique. Faça como quiser. O camelo enfiou o nariz dentro da tenda. - Se eu pudesse aquecer o pescoço também, disse. Para mim, dá no mesmo, respondeu o Xeique. O animal avançou o pescoço e distraiu-se durante um certo tempo olhando em torno. Depois de virar a cabeça para lá e para cá, acabou falando de novo: - Só vai ocupar mais um pequenino espaçozinho se eu colocar minhas patas dianteiras dentro da tenda. Eu me sentiria muito, muito melhor! O Xeique apenas deu de ombros e rolou de lado, para dar mais espaço. Mal o camelo plantara as patas dianteiras dentro da tenda, observou: - Meu amo, do jeito que estou, as abas estão ficando abertas. Acho melhor entrar por inteiro. - Como quiser, concordou o Xeique, afastando-se mais para o animal poder entrar inteiro. O camelo entrou, entupindo a tenda. E logo começou a olhar feio para o Xeique. - Estou achando, disse, que não há lugar suficiente para nós dois aqui dentro. É melhor você ir lá para fora, já que é bem menor. Só assim vai ter lugar suficiente para mim. Dito isto, empurrou o Xeique, jogando-o no frio e na escuridão. Sábia norma é resistir ao mal logo que surgir.
O mal vai tomando um “espaçozinho” de cada vez em nosso coração e quando menos percebemos, ele já está comandando as nossas ações e decisões. Existem portas que não devemos abrir, depois de abertas é muito difícil fechá-las. O Senhor nos protege de todo mal. Cabe a nós também repudiar todo mal e afastar o que não edifica. Longe de nós esteja praticar iniquidade, que seja do nosso agrado fazer a vontade de Deus. “Não siga pela vereda dos ímpios nem ande no caminho dos maus” (Pv 4.14).

Dê lugar ao que é justo e bom. 

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Viva Cristo de verdade


Leitura Bíblica: 2 Pedro 3.17-18

De modo que não lhes falta nenhum dom espiritual, enquanto vocês esperam que o nosso Senhor Jesus Cristo seja revelado (1Co 1.7).

“As Escrituras identificam os cristãos, usando quatro nomes tomados das quatro graças cardinais, tão essenciais à salvação humana: santos, pela sua santidade; crentes, pela sua fé; irmãos, pelo seu amor; discípulos, pelo seu conhecimento” (Thomas Fuller).
Santos, crentes, irmãos e discípulos. Interessantes estas características levantadas por Thomas Fuller. Provérbios 4.18 diz: “A vereda do justo é como a luz da alvorada, que brilha cada vez mais até a plena claridade do dia”. Nossa vida com Cristo deve ser de progresso. A quanto tempo você começou a sua carreira cristã? Está nela progredindo?
Santos - “Consagrem-se, porém, e sejam santos, porque eu sou o Senhor, o Deus de vocês” (Lv 20.7). Dia a dia devemos buscar a santidade. Devemos nos afastar daquilo que nos afasta de Deus, buscando servir a Deus com exclusividade. 
Crentes - Como os apóstolos de Jesus devemos dizer “aumenta a nossa fé!” (Lc 17.5). Nossa confiança deve crescer produzindo em nós uma vida de paz que só tem aquele que conhece a Jesus. 
Irmãos - Como cristãos amados de Deus, a cada dia percebemos o quanto Deus nos ama. Assim somos constrangidos pelo amor de Deus a amar nossos irmãos. “Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão” (1Jo 4.21).
Discípulos - Como discípulos, fomos chamados e capacitados para anunciar o reino de Deus. Ir e continuar indo por todo mundo anunciando o evangelho a toda a criatura (Mc 16.15 - RA).
Estas são algumas características que devemos desenvolver. Poderíamos citar muitas outras coisas também importantes. Como a longanimidade, a oração, nossa adoração. É certo que nossa vida não pode ser apenas uma espera pelo céu. Enquanto aguardamos o grande dia, corremos e completamos a nossa carreira pela direção de Deus. 

Siga a luz e seja iluminado pela luz.

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Dívida!


Leitura Bíblica: Mateus 10.40-42

O Soberano, o Senhor, vem com poder! Com seu braço forte ele governa. A sua recompensa com ele está, e seu galardão o acompanha (Is 40.10).

Hugh T. Kerr conta que um menino chamado Bradley, quando tinha quase oito anos, adquiriu o hábito de considerar tudo em termos de dinheiro. Certa manhã, quando Bradley desceu para o café, colocou sobre o prato da mãe um papelzinho cuidadosamente dobrado. A mãe abriu-o e quase não acreditou no que o filho escrevera: Mamãe deve a Bradley: Por levar recados, 3 dólares. Por tirar o lixo, 2 dólares. Por varrer o chão, 2 dólares. Extras, 1 dólar. Total, 8 dólares que mamãe deve a Bradley. A mãe sorriu ao ler aquilo, mas não disse nada. Na hora do almoço, ela devolveu a conta sobre o prato de Bradley, junto com os 8 dólares. Os olhos de Bradley faiscaram quando ele viu o dinheiro. Enfiou-o depressa no bolso, já sonhando com as coisas que ia comprar com sua recompensa. No mesmo momento, ele viu um outro pedaço de papel ao lado do seu prato, cuidadosamente dobrado, igualzinho ao seu. Quando abriu, viu que era uma conta da sua mãe: Bradley deve a mamãe: Por ser boa para ele, nada. Por cuidar da sua catapora, nada. Pelas camisas, sapatos e brinquedos, nada. Pelas refeições e pelo lindo quarto, nada. Total que Bradley deve a mamãe, nada. Bradley ficou sentado, olhando para sua nova conta, sem dizer nenhuma palavra. Minutos depois, levantou-se e puxou os 8 dólares do bolso, colocando-os na mão de sua mãe. E depois disso passou a ajudar a mãe por amor.
Será que, como Bradley, quando ajudamos alguém, mesmo não tendo coragem de cobrar, ficamos meditando no coração a dívida que acreditamos que nosso próximo tem para conosco? Quando isso acontece perdemos muito. Pois colocamos preço em algo que não tem preço. Como cobrar pela bênção de poder ajudar? Fazendo isso, limitamos a nossa recompensa com valores terrenos. Sendo que pelo que fazemos por amor, como servos uns dos outros, receberemos grande galardão dos céus. 

De graça recebemos, com graça doamos. 

domingo, 15 de setembro de 2019

Encontre a Cristo


Leitura Bíblica: 1 Crônicas 16.8-13

Os olhos do Senhor voltam-se para os justos e os seus ouvidos estão atentos ao seu grito de socorro (Sl 34.15).

Quando perdemos alguma coisa ou achamos que perdemos algo a primeira coisa que fazemos é tentar lembrar a última vez que a vimos. Voltamos aos lugares por onde passamos. Olhamos nos lugares onde possamos ter deixado o que perdemos. Nem sempre é uma tarefa fácil encontrar algo perdido, mas na maioria das vezes encontramos. 
Spurgeon diz que devemos fazer algo parecido se porventura “perdemos” a Cristo. Ele disse: “Diga-me onde você perdeu a companhia de Cristo, e eu lhe direi o lugar mais provável para encontrá-lo. Você perdeu Cristo no escritório, por ter diminuído a oração? Então é ali que deve buscá-lo e encontrá-lo. Você perdeu Cristo por causa do pecado? Você não vai encontrá-lo de nenhuma outra forma, a não ser desistindo do pecado. Então, procure, pelo Espírito Santo, mortificar a parte do corpo em que a luxúria habita. Você perdeu Cristo por ter desprezado as Escrituras? Então é preciso procurá-lo nas Escrituras. O provérbio é verdadeiro: ‘Procure a coisa no lugar em que você a perdeu: ela está ali’. Assim, procure por Cristo onde você o perdeu; Ele não saiu de lá”’.
Não devemos nos afastar de Cristo. Para não nos afastarmos de Cristo precisamos constantemente estar buscando a sua presença. “O Senhor olha dos céus para os filhos dos homens, para ver se há alguém que tenha entendimento, alguém que busque a Deus” (Sl 14.2). Ele nos convida a adoração. O Senhor escuta nosso clamor por sua presença. Devemos estar prontos a responder. “Tu disseste: Venha me adorar. Eu respondo: Eu irei te adorar, ó SENHOR Deus” (Sl 27.8). 
Devemos nos afastar do mal, fazer o bem, buscar a Deus com perseverança. “O que busca, encontra; e àquele que bate, a porta será aberta” (Lc 11.10b). É fato, podemos por um momento ter a sensação de que perdemos Jesus. Sentir que Deus se afastou de nós. Mas a verdade é que ele sempre está presente. 

 A tua face, Senhor, buscarei!

sábado, 14 de setembro de 2019

Realmente honesto!


Leitura Bíblica: Salmo 18.20-26

Ele reserva a sensatez para o justo; como um escudo protege quem anda com integridade (Pv 2.7).

Conta-se uma lenda judaica que uma vez, um rabino resolveu testar a honestidade de seus discípulos. Convocou-os e lhes fez a seguinte pergunta: - O que fariam se encontrassem pelo caminho uma carteira cheia de dinheiro? Um dos discípulos respondeu: - Devolveria para o dono. O rabino pensou: “A resposta veio tão rapidamente que devo considerar se foi realmente sincera”. Um outro falou: - Ficaria com o dinheiro se ninguém tivesse me visto. O rabino disse consigo mesmo: “A língua é sincera, mas o coração é perverso”. E um terceiro foi dizendo: - Bem, rabino, para ser honesto, ficaria tentado a guardar o dinheiro para mim. Portanto, pediria a Deus que me desse forças para resistir à tentação e agir corretamente. E o rabino concluiu: “Aí está. Eis o homem em quem eu confiaria”.
De forma sábia, essa lenda chama nossa atenção para a honestidade que pode ser apenas da boca para fora. Temos respostas prontas para muitas questões, mas nem sempre nossa prática condiz com o que afirmamos ser o mais correto. Não basta saber o que fazer, é preciso resistir às tentações no momento em que formos provados. Precisamos agir com firmeza quando as oportunidades de pecar nos são  oferecidas. Uma boa definição de homem honesto podemos encontrar em Jó 1.1. Jó é descrito como homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal. Pedro ressalta a importância de uma vida santa dizendo que o marido não crente pode ser atraído pela verdade mesmo sem palavras, “ao observar o vosso honesto comportamento cheio de temor” (1Pe 3.2). O contrário também acontece. Se não dermos bom testemunho até mesmo as melhores palavras dificilmente farão algum efeito. Quem segue o caminho da desonestidade vive na amargura da culpa. “Tortuoso é o caminho do homem carregado de culpa, mas reto, o proceder do honesto” (Pv 21.8). Prezemos pela verdade vivendo de forma fiel dando testemunho honesto. 

Fale a verdade, faça o que é correto.

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Um menino


Leitura Bíblica: João 6.5-13

Estejam prontos para servir, e conservem acesas as suas candeias (Lc 12.35).

É impressionante a quantidade de anônimos importantes que encontramos na Bíblia. Pessoas que não sabemos nem o nome, como o menino, que no milagre da multiplicação dos pães e peixes, estava no meio da multidão e levava consigo cinco pães e dois peixes. Devemos valorizar as pessoas, elogiar, dar honra a quem merece. Mas não podemos esquecer que todos nós somos servos de Deus. Tudo o que temos e somos vem de Deus. Devemos lembrar que não somos mais importantes do que as outras pessoas. No reino de Deus, fazemos parte de um corpo e cada um de nós deve desempenhar a sua função. 
Pensando no menino do texto, podemos afirmar que, mais importante do que o seu nome, foi sua atitude. Mesmo sem nome, ele será sempre lembrado.  
O Rev. Lucas Pina enumera três lições que podemos aprender com este menino. A primeira lição é que o menino estava buscando conhecer Jesus. Não sabemos se ele estava com sua família ou sozinho. O fato é que ele estava juntamente com aquela multidão procurando aprender os ensinos de Jesus. Ele queria saber quem era Jesus. A segunda lição é que ele estava preparado para permanecer por longo tempo ali. Ele havia levado um lanche. Parece que era o único que tinha se preparado, nem mesmo os apóstolos de Jesus tinham algum alimento guardado. A terceira lição é que ele estava disposto a compartilhar sua comida com os outros. Os discípulos pediram a sua comida e ele simplesmente entregou. Não sabia o que iria acontecer dali em diante, mas não se opôs ao que foi chamado. 
Que a nossa preocupação seja sempre servir a Deus. Para isso, mais do que ser conhecidos, devemos procurar conhecer a Jesus. Precisamos estudar a Bíblia, ouvir a mensagem de salvação e seguir a Jesus. Também precisamos estar dispostos a contribuir com a obra de Deus. Mesmo que o que temos possa parecer pouco, devemos lembrar que Jesus pode multiplicar o que temos e realizar grandes milagres. 

Servimos ao Deus vivo e verdadeiro.