quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Ouvir

Eclesiastes 7.19-22

Não dê atenção a todas as palavras que o povo diz, caso contrário, poderá ouvir o seu próprio servo falando mal de você (Ec 7.21).

Geração mimimi - Geração de mimados, pessoas que reclamam de tudo. Você já reparou como de forma intensa hoje se discute sobre tudo. Nas redes sociais, os assuntos polêmicos são os mais comentados. Muitas pessoas ficam incomodadas com as outras, mesmo quando não fazem parte de uma discussão. Logo dão um palpite sobre o que acham sobre algo que ouviram dizer. Vivemos em um tempo em que todos estão atentos a tudo o que se passa em todo o mundo. 
O interessante é que a orientação bíblica diz que devemos fazer o contrário. No lugar de ficar ouvindo tudo, não devemos dar atenção a todas as palavras. Tácito descreve o homem sábio, dizendo a outro que o atacou: “Você é dono de sua língua, mas eu sou o dono dos meus ouvidos. Pode falar o que quiser que eu vou escutar somente o que eu quiser”. É certo que é muito difícil ter este domínio de escutar apenas as partes boas do que nos dizem. Mas esta deveria ser nossa atitude. 
Spurgen sabiamente falou: “Não se pode deter a língua das pessoas e, portanto, o melhor é fazer olho cego e ouvido surdo, deixando de dar atenção ao que elas falam. Existe muita conversa fiada neste mundo e quem lhe der atenção, vai ter muito o que fazer”. Se ficarmos o dia todo dando atenção a discussões inúteis, remoendo palavras malditas que estão por toda parte, vamos ocupar todo o nosso tempo com o tal mimimi. 
Se não conseguimos tampar o ouvido, o melhor que podemos fazer é nos afastar de quem ou do que nos incomoda. Se você está perto de alguém que está irritado, o melhor é se afastar, antes que ouça coisas que não vão te agradar. Se já ouviu, não aplique seu coração nas más palavras que foram ditas. Provavelmente, estas palavras não representam a verdade, mas foram fruto de uma raiva momentânea. E por fim, pensaríamos muito menos no que dizem sobre nós se lembrássemos que muitas vezes também falamos mal de outros.

Existem coisas que é melhor não saber.




terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Os ossos do rei

2Coríntios 11

Seja outro o que te louve, e não a tua boca; o estrangeiro, e não os teus lábios (Pv 27.2).

Havia um rei que se orgulhava muito de sua linhagem. Certa vez, caminhava com sua comitiva por um campo, onde, anos antes, havia perdido seu pai em uma batalha. Ali encontrou um homem santo remexendo uma enorme pilha de ossos. O rei, então, intrigado, perguntou-lhe: - O que fazes aí, velho? - Honrada seja Vossa Majestade, disse o homem santo. Quando soube que o rei vinha por aqui, resolvi recolher os ossos de vosso falecido pai para entregar-vos. Entretanto, não consigo achá-los: eles são iguais aos ossos dos camponeses, dos pobres, dos mendigos e dos escravos. 
A preocupação em destacar-se dos outros, ser melhor, mais interessante, invejável tem se mostrado um grande mal de nosso tempo. As pessoas hoje não querem ser boas, querem ter uma vida invejável. Mostrar o quanto são felizes, o quanto sua família é bonita. 
Paulo, no capítulo 11 de 2Coríntios, nos dá uma grande lição de humildade. Mesmo quando está falando bem de si mesmo, ele consegue nos ensinar sobre quanto a glória pessoal é um grande mal. Paulo estava preocupado com os falsos apóstolos que haviam adentrado na igreja de Corinto. Seu medo era que eles afastassem aqueles irmãos da verdade do evangelho. Ele se vê forçado em defender-se das acusações que estes falsos apóstolos estavam fazendo contra ele. Por isso, ele vai falar sobre si mesmo e seu ministério, o que ele chama de loucura e insensatez. E pelo que, por diversas vezes, ele pede perdão. 
Então, depois de comparar-se com os chamados super apóstolos, falando sobre seu ministério, termina dizendo uma de suas fraquezas. Interessante como Paulo não fala apenas das coisas boas que fez. Ele fala também de sua própria fraqueza. Ele menciona que, como fugitivo, foi descido por um muro num cesto de pesca e assim escapou de Damasco. 
Aprendemos que: Se for necessário contar um testemunho pessoal, que seja feito com muita humildade no coração e sem omitir momentos de fracasso. 


Não é direito nem sábio julgar-se melhor do que os outros. 

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Dizendo sim e não

2Samuel 9.7-8

Agora, se quiserem mostrar fidelidade e bondade a meu senhor, digam-me; e, se não quiserem, digam-me também, para que eu decida o que fazer (Gn 24.49).

A apresentadora Oprah disse certa vez: “Estava tão ocupada tentando dar tudo o que as pessoas exigiam de mim que perdi o contato com aquilo que eu tinha um desejo genuíno de dar. Havia sido consumida pelo desejo de agradar e muitas vezes a palavra sim saia da minha boca sem que eu me desse conta”. 
Muitos se acostumam em fazer as coisas apenas porque querem agradar os outros. Não conseguem dizer não, com medo de ofender alguém. Passam a ajudar os outros, não porque eles precisam, mas porque não querem que ninguém pense que são uma má pessoa. A sua ação passa a ter uma segunda intenção. Acabam com isso deixando de fazer o que realmente deviam fazer, deixando até de ajudar quem realmente precisa. Se sobrecarregam fazendo tantas coisas que demandam uma energia maior do que deveriam. Isto pode gerar um grande mal. 
Deve ficar claro que devemos nos esforçar para fazer o bem a todos. João chega a dizer que Cristo deu a vida por nós, e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos (1Jo 3.16).  Romanos 12.10 diz: “Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios”. É uma bênção poder ser usado por Deus para ajudar alguém, levar alívio ao que sofre. Mas isso não quer dizer que somos obrigados a dizer sim para todas as pessoas. Isso nem é possível. Não é só porque alguém te pediu algo que você é obrigado a fazer. Deveríamos nos preocupar mais com o que Deus nos ordena. Infelizmente parece que é mais fácil dizer não para a vontade de Deus do que para um pedido de um amigo.  
Podemos dizer não para as pessoas, mas não devemos fazer isso de forma grosseira. Também não devemos usar desculpas mentirosas. Tente encontrar uma forma elegante de dizer não. Fique em paz e não sofrendo por ter respondido negativamente. Seja sincero e siga pelo melhor caminho. 


Saiba dizer e ouvir sim e não.