terça-feira, 22 de outubro de 2019

Nova Jerusalém


Leitura Bíblica: Apocalipse 21.1-4

O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre (1Jo 2.17).

A Nova Jerusalém, o novo céu e a nova terra, é uma promessa especial de Deus para nós seus filhos. A Nova Jerusalém será nosso novo lar. Substituirá o mundo que vivemos. Uma promessa de grande alegria: “já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” (Ap 21.4). O texto diz que a morte já não existe. Esta promessa traz também uma lembrança importante: Esta primeira terra deixará de existir. A morte que ainda existe, um dia não existirá mais. “Não importa o quanto tentemos manter a ilusão, não podemos lutar contra a dura realidade de cada criatura nesse mundo caído. Tudo o que vive está em processo de morte. Esse mundo e tudo o que existe nele vai passar” (Paul David Tripp). Embora a morte não deveria existir, o pecado a trouxe ao mundo. O fim faz parte da história. É caminho de um novo começo. 
Por isso, devemos lembrar das palavras de Paulo quando disse que: “os que se utilizam do mundo, devem viver como se dele não usassem; porque a aparência deste mundo passa” (1Co 7.31). Também é preciso seguir o conselho de Pedro que disse: “O fim de todas as coisas está próximo. Portanto, sejam criteriosos e estejam alertas; dediquem-se à oração. Sobretudo, amem-se sinceramente uns aos outros (1Pe 4.7-8a).
Saber que vamos morrer e que tudo que existe hoje, um dia vai deixar de existir, não é motivo para tristeza ou desânimo. Este conhecimento serve para nos lembrar o quanto somos pecadores e carentes da graça e salvação. Isso nos faz viver baseados nas promessas celestiais e não nas conquistas momentâneas deste mundo. 
Estejamos firmes, certos que Deus é o nosso redentor, ele fortalece nossa vida nos momentos mais difíceis. Ele estará conosco quando passarmos pelo vale da sombra da morte. “Deus é o nosso Deus para todo o sempre; ele será o nosso guia até o fim” (Sl 48.14). Devemos sempre nos alegrar e nada temer. 

O fim marca o novo e perfeito começo. 

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Coragem!


Leitura Bíblica: Salmo 18.35-39

O que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé (1Jo 5.4).

Colin Wilson, hoje um escritor consagrado, conta sua tentativa de suicídio aos 16 anos: “Entrei no laboratório de química da escola, e peguei o vidro de veneno. Coloquei num copo diante de mim, olhei bastante, reparei na cor, e imaginei o possível gosto que teria. Então, aproximei o ácido de meu rosto, e senti seu cheiro; neste momento, minha mente deu um salto até o futuro - e eu podia senti-lo queimando a minha garganta, abrindo um buraco no meu estômago. A sensação dos danos causados pelo ácido era tão real, que parecia já tê-lo bebido. Foi então que tive certeza que não queria aquilo. Fiquei alguns momentos segurando o copo em minhas mãos, saboreando a possibilidade da morte, até pensar comigo mesmo: se sou valente para me matar, também sou valente para continuar vivendo”.
É preciso ser valente, ter coragem para viver. Também é preciso coragem para tirar a vida. Um psiquiatra conta que ao contrário do pensamento, que atribui a escuridão a capacidade de deprimir as pessoas - a maior parte dos suicídios ocorre de manhã. É justamente no momento de acordar que o depressivo se vê diante de sua maior dificuldade: enfrentar um novo dia.
Não sei o quanto é difícil para você começar um novo dia. O primeiro passo pode ser o pior de todos, mas com a ajuda de Deus podemos seguir em frente. Mesmo se o medo for o seu primeiro visitante pela manhã, a coragem estenderá a mão para o ajudar. “Um amigo me ensinou que coragem só é mesmo coragem quando sentimos um imenso medo. Quando nos arremessamos a fazer alguma coisa que em princípio exige coragem, deve existir junto uma dose de medo, senão a empreitada se revela irresponsável. Pode-se estar diante de uma loucura, de um desatino ou estupidez. A coragem é justamente sentir o medo que enrijece a alma e o poder de enfrentar o desafio serena e positivamente. O medo faz parte da história” (Nuno Cobra). Com fé vencemos as adversidades.

Deus nos dá a vitória.

domingo, 20 de outubro de 2019

Vida saudável


Leitura Bíblica: Efésios 1.3-8

É, porém, por iniciativa dele que vocês estão em Cristo Jesus, o qual se tornou sabedoria de Deus para nós, isto é, justiça, santidade e redenção (1Co 1.30).

Será que alguém pode não ter saúde mesmo não estando doente? Li uma história que afirma isso. Fala de um médico que um dia sentiu-se mal num shopping. Providenciado o socorro, foi encaminhado ao hospital em que trabalhava, só que agora na condição de paciente. Os médicos fizeram vários exames e concluíram que ele não tinha nada. Ele reclamou que não era possível, que estava se sentindo mal. Como era médico, fizeram mais uma batelada de exames para provar que realmente ele não tinha nada. Mas ele continuava se sentindo doente. Esse médico então procurou o preparador físico, Nuno Cobra que lhe disse: “Escuta uma coisa, você não tem absolutamente nada”. Ele ficou decepcionado: “Mas como não tenho nada? Estou me sentindo mal, não aguento, me sinto cansado, não tenho energia”. Ele respondeu: “Você não tem nenhuma doença, o problema é que você não tem saúde”. “A maioria das pessoas não está doente, mas também não tem saúde. Saúde é alegria de viver. É estar encantado com a vida. É ter entusiasmo, energia, vitalidade, disposição. Saúde é um processo de equilíbrio do organismo” (Nuno Cobra).
Concordo com ele, tem muita gente que faz todo tipo de exame e recebe do médico a notícia de que está tudo bem. Mas muitos ainda se sentem doentes. Porque não basta estar bem fisicamente. Se a alma está adoecida, o corpo ainda sente dores. Se a vida espiritual não vai bem, tudo vai mal. Podemos ter dinheiro, família, amigos, um bom emprego, mais ainda existirá um grande vazio no coração. 
Temos que cuidar da nossa saúde física, mas isso não evitará que um dia enfrentemos a morte. Mas pior que a morte física é a morte espiritual, ser separado de Deus para sempre. Por isso, é importante viver sob os cuidados de Deus. Quando recebemos a Cristo em nossa vida, temos saúde e a promessa da ressurreição.  

Quando vivemos com Jesus, temos vida saudável. 

sábado, 19 de outubro de 2019

Efeito Bumerangue


Leitura Bíblica: João 8.31-36

Ao contrário, encorajem-se uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama hoje, de modo que nenhum de vocês seja endurecido pelo engano do pecado (Hb 3.13).

Bumerangue “é um objeto de arremesso com origem em várias partes do mundo. Como esporte, o seu número de adeptos vem crescendo em todo o mundo. Constantemente confundidos com os Kylies (armas de arremesso), os bumerangues foram criados para voltar à mão do arremessador quando não atingir um alvo” (Wikipédia). 
O Pastor Marcos Garcia compara o bumerangue com o pecado. Ele disse: “O pecado não fica impune. Ele um dia voltará para aquele que o praticou. Davi adulterou com Bate-Seba e não ficou impune (2Sm 11 e 12). O filho pródigo abandou a casa do pai, gastou sua herança dissolutamente e sofreu as consequências do pecado (Lc 15.11-32). Acabe e Jezabel perseguiram Elias e os profetas de Deus e não ficaram impunes (1Rs 22 e 2Rs 9). Moisés é claro em afirmar: ‘Porém, se não fizerdes assim, eis que pecastes contra o SENHOR; e sabei que o vosso pecado vos há de achar’ (Nm 32.23). Cuidado para não ser encontrado pelo seu pecado lá na frente!”
Podemos também acrescentar que o pecado é como bumerangue que volta às mãos daquele que o atirou quando não alcança seu alvo. Quando pecamos, acreditamos que vamos satisfazer nossos desejos, mas depois o bumerangue do pecado sempre vai voltar, pois ele não é capaz de atingir o objetivo proposto. Podemos repetidamente lançar o bumerangue, que ele sempre vai voltar vazio. Pecado é um jogo perigoso, vicia e nos torna escravos. Devemos nos apegar a Jesus. Quem permanece em Jesus se aproxima da verdade, conhece a verdade que liberta. Enquanto o pecado leva à morte, graças a Deus nós temos a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. “Portanto, queridos irmãos, continuem fortes e firmes. Continuem ocupados no trabalho do Senhor, pois vocês sabem que todo o seu esforço nesse trabalho sempre traz proveito” (1Co 15.58).

Caminhe para a luz.

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Alegria para a Alma


Leitura Bíblica: Salmo 94.17-19

Quando a ansiedade já me dominava no íntimo, o teu consolo trouxe alívio à minha alma (Sl 94.19).

O salmista descreve que passou por uma grande tribulação. Ele estava aflito, preocupado, dominado pela ansiedade. Ele dá o seu testemunho dizendo: “Muitos cuidados dentro de mim se multiplicam” (Sl 94.19a). Mas, quando tudo estava perdido, ele foi amparado pelo amor de Deus. Afirma que se não fosse o livramento do Senhor sobre a sua vida, não teria resistido. “Ó SENHOR Deus, quando senti que poderia morrer, o teu amor me amparou” (Sl 94.18 NTLH). 
Que linda palavra: “O teu consolo trouxe alívio à minha alma” (Sl 94.19b NVI). Esta afirmação do salmista representa uma verdade que todos nós podemos experimentar. De forma errada nos apoiamos em tantas coisas que aparentemente nos trazem paz e segurança. Mas, na verdade, só Deus pode trazer livramento e principalmente alívio a nossa alma. Por isso, a certeza do salmista em dizer: “O SENHOR é o meu baluarte e o meu Deus, o rochedo em que me abrigo” (Sl 94.22). Deus é o nosso refúgio e fortaleza, nossa defesa. 
Devemos nos aproximar mais de Deus. Aquele que tem sede deve ir até às águas (Is 55.1). É promessa de Deus que aquele que inclinar os ouvidos e se aproximar do Senhor, sua alma viverá. Também em Isaías 57.18b-19 (NTLH) Deus diz a seu povo: “Eu os curarei e os guiarei; eu os consolarei. Nos lábios dos que choram, colocarei palavras de louvor. A todos ofereço a paz, paz aos que estão perto e aos que estão longe; eu os curarei”. 
É muito bom saber que Deus dá consolo ao contrito, perdão ao arrependido. Livra a nossa alma da morte. Que vivamos firmes em suas promessas. Que sempre a palavra de Deus renove a nossa esperança, fortaleça nossa fé, faça brilhar nossos olhos, dando-nos a coragem de enxergar o novo e vivo caminho que ele tem para nós. Que nunca deixemos de ver seu grande poder capaz de nos dar a paz real. 

Buscai o Senhor enquanto se pode achar.

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Como um bambu


Leitura Bíblica: 2 Coríntios 9.10-11

O temor do Senhor ensina a sabedoria, e a humildade antecede a honra (Pv 15.33).

Há vários significados relacionados ao bambu. Existem alguns textos que listam, por exemplo, dez coisas que podemos aprender com o bambu. Quero destacar aqui apenas três delas: Flexibilidade, respeito e paciência. Estas caraterísticas estão relacionadas às seguintes qualidades do bambu. 1- O bambu se dobra e não se parte. 2- O bambu cresce em nódulos. 3- O bambu floresce apenas a cada 150 anos. 
O bambu se dobra e não se parte. Ele se balança suavemente conforme o vento. Podemos tirar daqui uma lição de humildade. Quem aprende a ser flexível, se abaixa sem quebrar. Sabe contornar situações. Mas se tentarmos enfrentar certas ondas, podemos nos machucar. É melhor saltar ou passar por baixo das ondas do que tentar enfrentá-las. Quem resiste ao vento pode se quebrar. 
O bambu cresce em nódulos. Os mais novos aparecem abaixo elevando os mais antigos. Isso nos lembra que devemos respeitar aos mais velhos. Dar prioridade àqueles que já tem os anos acrescidos. Pedro disse: “jovens, sujeitem-se aos mais velhos. Sejam todos humildes uns para com os outros, porque Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes” (1Pe 5.5). 
Um bambu floresce apenas a cada 150 anos. Ele também, depois de plantado, demora muito para aparecer. Garr Reynolds disse: “Depois de plantada a semente, não se vê nada durante cinco anos, todo o crescimento é subterrâneo, invisível a olho nu, mas uma maciça e fibrosa estrutura de raiz se estende vertical e horizontalmente pela terra em que foi plantada”.  Isso nos lembra que devemos ser pacientes e perseverantes, pois as melhores conquistas de nossa vida demoram muito tempo para se concretizarem. Antes de colher, primeiro é preciso muito trabalho. Pode até parecer que não estamos conseguindo progredir, mas no momento certo o crescimento e o florescimento virão. Com a ajuda de Deus sejamos mais flexíveis, educados e firmes em seu propósito. 

As leis de Deus podem ser vistas na natureza. 

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Escrever na areia


Leitura Bíblica: 2 Coríntios 2.5-11

Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará (Mt 6.14).

Certa feita, dois amigos, Mussa e Nagib, viajavam e ao chegarem às margens de um grande rio barrento e impetuoso, era preciso transpor a corrente ameaçadora. Porém, ao saltar de uma pedra, Mussa foi infeliz e caiu no torvelinho espumante das águas em revolta. Teria ali perecido, arrastado para o abismo, se não fosse Nagib. Este, sem a menor hesitação, atirou-se à correnteza, livrando da morte seu companheiro de jornada. Mussa, então, gravou na face lisa de uma pedra, que ali se erguia, esta legenda admirável: “VIAJANTE, NESTE LUGAR, COM RISCO DA PRÓPRIA VIDA, NAGIB SALVOU HEROICAMENTE SEU AMIGO MUSSA”. Feito isso, prosseguiram. Cinco meses depois, durante a viajem de regresso, encontravam-se os dois amigos naquele mesmo lugar perigoso e trágico. E, como estavam fatigados, resolveram repousar à sombra acolhedora da pedra que ostentava a honrosa inscrição feita por Mussa. Já acomodados na areia clara, começaram a conversar, e, eis que por motivo fútil, surgiu de repente grave desavença entre os dois companheiros. E então Nagib exaltado em um ímpeto de grande cólera esbofeteou brutalmente o amigo. Mussa, sem dizer palavra alguma, não revidou a ofensa. Ergueu-se e tomando tranquilo o seu bastão andou até a margem do grande rio. Ali escreveu na areia, ao pé do negro rochedo: “VIAJANTE, NESTE LUGAR POR MOTIVO FÚTIL, NAGIB INJURIOU GRAVEMENTE SEU AMIGO MUSSA”. Nagib ficou muito surpreendido com o estranho ato. Mussa fitou-o e esclareceu: - O benefício que recebi de você permanecerá para sempre em meu coração. Mas a injúria escrevo na areia, com o voto de que ela desapareça rapidamente não só do local onde a registrei, mas também das minhas lembranças. 
Precisamos aprender a gravar na pedra as coisas boas que as pessoas nos fazem. E principalmente aprender a perdoar, deixar o vento levar e apagar o que nos fizeram de mal. 

Perdoar é conhecer o que é amar. 

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Discernimento


Leitura Bíblica: Tiago 3.13-18

Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos e os seus ouvidos estão atentos à sua oração, mas o rosto do Senhor volta-se contra os que praticam o mal (1Pe 3.12).

Vivemos em tempo de relativismo. A verdade é combatida e a mentira defendida. O certo ou errado está baseado na decisão de cada pessoa e não no fato de existir o que é certo e o que é errado. Em meio a tanta incoerência é muito importante buscarmos discernir e separar o bem e o mal. Um pequeno artigo da Revista Ultimato, de 07/1997, com o título “Discernimento de Fio a Pavio” dizia o seguinte: “A Pratica do Discernimento é a arte de distinguir com a maior precisão possível entre duas ou demais coisas, cujas diferenças nem sempre aparecem à primeira vista. Áreas do Discernimento: É preciso discernir entre o bem e o mal. É preciso discernir entre a verdade e a mentira. É preciso discernir entre o verdadeiro e o falso. É preciso discernir entre Deus e os ídolos. É preciso discernir entre a minoria sábia e a maioria enlouquecida. É preciso discernir entre a vontade de Deus e a vontade própria. É preciso discernir entre falta alheia e falta própria. É preciso discernir entre zelo e fanatismo. É preciso discernir entre o saudável e o insano. É preciso discernir entre o misticismo sadio e o misticismo patológico. É preciso discernir entre os acontecimentos comuns e os grandes acontecimentos de Deus. É preciso discernir entre espíritos que procedem de Deus e espíritos que não precedem”.  
No lugar de nos escondermos na dúvida, devemos clamar a Deus para termos um melhor discernimento das coisas. “Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida” (Tg 1.5). Deus nos dará discernimento se pedirmos. Ele nos dará a sabedoria que vem dos céus. Enquanto que a sabedoria terrena é egoísta, invejosa, caminha para a confusão e para o mal, a sabedoria de Deus é pura, pacífica, sincera e produz bons frutos. 

Em tempo de cegueira, abra os olhos. 

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Cuidado com o coração


Leitura Bíblica: Provérbios 2.1-11

O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo? (Jr 17.9).

Ludgero Bonilha Moraes, disse: “Homens não erram de propósito. Levantamos pela manhã com a firme convicção que acertaremos. Mas o propósito do coração é tão firme quanto a areia movediça. Precisamos de um fundamento mais sólido do que nosso coração enganoso. Precisamos de alguém que pode afirmar a respeito de si: Eu Sou o que Sou!” 
Não podemos acreditar em nossas vontades e intenções do coração. Elas mudam de um lado para o outro rapidamente como as ondas do mar. Precisamos nos firmar no Senhor. 
O Rev. Antônio Fontes disse: “O coração, muito mais do que um órgão vital no corpo humano, é tido nas Escrituras como a sede dos pensamentos, afeições e vontade. É impossível ter uma vida que agrade a Deus a menos que o nosso coração seja atingido por sua graça. Somente com o coração nas mãos de Deus teremos uma perfeita visão de mundo, bem como projetos, desejos e decisões alinhados com a sua santa vontade. Herman Dooyeweerd diz que “o dogma da autonomia do pensamento teórico é uma farsa por causa do conteúdo da crença e da inclinação do coração”.
Em Provérbios 2 encontramos o tratamento necessário que devemos dar ao nosso coração. Devemos inclinar o coração para o discernimento. Alimentá-lo com sabedoria. O coração que busca entendimento é um coração que teme ao Senhor. Entende o que é justo e aprende os caminhos do bem. Quem tem um coração saudável vive feliz. Está livre dos maus caminhos, dos homens maus, das palavras malditas e das trevas. 
Todas as manhãs não basta levantar bem intencionado. Precisamos clamar por entendimento e confessar nossos pecados, reconhecendo que sem o Senhor nosso caminho será sempre tortuoso. Bem cedo é preciso gritar por sabedoria, inclinando o coração para aquilo que é realmente o bem. Dizer a Deus: “Sonda-me, Senhor, e prova-me, examina o meu coração e a minha mente” (Sl 26.2).

Senhor, dirige-me pelo caminho eterno.

domingo, 13 de outubro de 2019

Vida rica


Leitura Bíblica: Provérbios 8.18-21

A recompensa da humildade e do temor do Senhor são a riqueza, a honra e a vida (Pv 22.4).

Um senhor muito rico, mas que estava doente, disse o seguinte: “Sabe o que é realmente valioso na vida? É tudo aquilo que você não pode comprar!” E completou: “Hoje eu posso comprar tudo o que você puder pensar: o carro mais caro do mundo, uma cobertura em Nova York, um palacete em Londres, qualquer coisa, mas tudo isso não vale nada. A minha saúde, essa eu não posso comprar. Então percebo que é isso o que realmente vale! Não há dinheiro no mundo que compre a saúde depois que você a perdeu”. “Tudo o que você pode comprar não tem valor. Aquilo que você não pode comprar, justamente porque já veio no pacote da vida, dado de graça pelo Criador, é que realmente tem valor. A prova concreta disso é sua saúde, sua paz, sua felicidade” (Nuno Cobra). 
O mais importante é aquilo que não se pode comprar. O maior tesouro realmente recebemos pela graça e misericórdia de Deus. A nossa salvação, o nosso perdão, a paz que vem de Deus não se pode comprar. Se hoje você pode afirmar que crê no Senhor Jesus, você é a pessoa mais rica do mundo. Se você tem saúde espiritual, você tem o bem mais precioso, mais valioso do mundo. 
Precisamos investir mais tempo em coisas que não são materiais. Precisamos ser menos apegados ao dinheiro, à necessidade de comprar na ânsia de encontrar satisfação. A busca constante pela estabilidade financeira e pelo enriquecimento têm na verdade adoecido as pessoas. O dinheiro tem deixado as pessoas cada vez mais pobres. 
O capítulo 8 de Provérbios discorre bem sobre este assunto. Fala sobre o proveito da sabedoria. Sabedoria aqui é sinônimo de Deus. O texto afirma que Deus concede riqueza aos que o amam. “Meu fruto é melhor do que o ouro, do que o ouro puro; o que ofereço é superior à prata escolhida” (Pv 8.19). Não podemos lamentar, nada nos faltará. Se temos Deus, temos tudo e podemos, como Paulo, dizer: a tua graça me basta. 

Meu tesouro é o Senhor.