segunda-feira, 21 de abril de 2008

Fazer o que?

Eclesiastes 9.7-10

Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus (1Co 10.31).

Temos, como um presente especial durante a nossa vida, a possibilidade de realizarmos diversas atividades. Devemos viver e desfrutar cada momento com alegria. Mas, diante de tantas ações, é perigoso ficarmos sobrecarregados e darmos prioridade ao que não é importante. Mais do que fazer coisas durante a vida, precisamos de sabedoria para discernir o que devemos fazer e quanto podemos fazer.
Quem deve guiar nossas atividades é o nosso Deus. Somente em comunhão com Ele teremos direção para fazer o que as nossas mãos tiverem que fazer.
Diariamente precisamos questionar nossas ações. Devemos fugir do erro de assumir uma carga muito grande de compromissos e não dar conta de cumpri-los. Devemos nos concentrar nas prioridades.
Diante de tantas atividades, cursos, trabalhos, esportes, lazer, família, igreja, precisamos nos manter responsáveis naquilo que assumimos. Para isso não podemos cair no erro do ativismo. É muito comum as pessoas fazerem muitas coisas ao mesmo tempo e acabarem não fazendo nada direito. É preciso abandonar o ativismo. Essa impressão de que o simples fato de estar fazendo alguma coisa nos faz pensar que estamos bem.
Fazer o quê? Pode ser hora de voltar a fazer coisas antigas que abandonamos por falta de tempo. Talvez devamos nos preocupar mais em ajudar outras pessoas, fazer o bem aos nossos inimigos. Ações humildes que visam a glória de Deus, mais que promoção pessoal. Descubra o que você deve fazer. Mas, independente do que estiver realizando, faça-o com alegria e gratidão a Deus, sem murmurações e discussões.
Um dia nossa vida terrena chegará ao fim. Ai não haverá mais o que fazer aqui, nem poderemos. Por isso, devemos nos dedicar com toda a nossa força àquilo que é a vontade de Deus para a nossa vida.

Faça tudo o que for da vontade de Deus