sexta-feira, 3 de junho de 2011

Naamã

2 Reis 5.1-19
E, se você andar nos meus caminhos e obedecer aos meus decretos e aos meus mandamentos, como o seu pai Davi, eu prolongarei a sua vida (I Rs 3.14).
Naamã era comandante do exército do rei da Síria.
Um homem muito importante e respeitado, mas ficou leproso.
A lepra é uma doença caracterizada pela brancura e por inchações, tumores ou manchas que desfiguram a pele. Desta forma, Naamã não poderia mais exercer sua função de comandante. Uma menina de Israel que era serva em sua casa disse que ele poderia ser curado se procurasse um profeta em Samaria. Depois de falar com o rei da Síria, Naamã foi ao encontro de Eliseu. Eliseu enviou um mesageiro a Naamã dizendo que para ele ser curado deveria lavar-se sete vezes no rio Jordão. Naamã ficou indignado porque não foi recebido e nem conheceu o profeta pessoalmente. Também achou muito ruim a idéia de banhar-se naquele rio. Mas, seguido o conselho de seus servos fez o que o profeta mandara e milagrosamente foi curado.
Esta história é muito rica de significados e nos mostra o poder de Deus em cuidar de problemas aparentemente impossíveis de uma forma muito simples, demonstrando que ele é quem realiza o milagre. 
A cura foi alcançada, mas para isso Naamã precisou acreditar naquela serva que morava em sua casa. Precisou sair de sua casa, viajar até onde o profeta morava. Precisou obdecer a ordem de se lavar sete vezes no rio. Ele precisou se humilhar e abandonar sua forma de pensar de como deveria acontecer a sua cura.
As bençãos de Deus não estão a venda. Eliseu não o tratou diferente porque ele era rico e ainda rejeitou a recompensa que Naamã ofereceu. Nós não podemos pagar a Deus pelo que ele fez. Nós só podemos segui-lo. O que Deus quer de nós é obediência e gratidão. Naamã creu em Deus e decidiu não mais servir aos falsos deuses, mas só fazer sacrifícios ao Senhor.
Precisamos conhecer a Deus como ele é, pensar como ele pensa e buscá-lo com humildade e confiança de que sempre nos resta esperança.

Abençoada é a dor que nos faz humildes e obedientes.
Rev. Hebert dos Santos Gonçalves