quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Efeito borboleta


I Coríntios 3.5-10
Pois nós somos cooperadores de Deus; vocês são lavoura de Deus e edifício de Deus (1 Co 3.9).
Edmard Lorenz, em 1963, foi o primeiro cientista a analisar a teoria chamada “efeito borboleta” segundo a qual o bater de asas de uma borboleta no Pacífico pode ser responsável pelo aparecimento de um tufão do outro lado do planeta.

Esta teoria do caos afirma que um pequeno evento pode ter consequências imprevisíveis, pois o resultado final é determinado por ações interligadas de forma quase aleatória.
Se até o movimento de uma asa de inseto pode, teoricamente, causar tamanhas conseqüências, será que podemos saber e medir o que é capaz de causar uma simples ação por nossa parte? Uma oração, um telefonema, uma palavra que falamos. Um sorriso, um apertar de mãos, uma lágrima nos olhos.
Sempre devemos acreditar que pequenas atitudes podem gerar grandes transformações. E.H. Chapin disse: “Toda ação de nossa vida toca alguma corda que vibrará na eternidade”.
É muito comum ficarmos adiando algum dever. É errado agir assim. Devemos aproveitar cada segundo fazendo de cada dia um dia de ações importantes que possa ser lembrado por muitos e muitos anos.
Paulo ensina em nosso texto base que somos cooperadores de Deus. Temos, pela graça de Deus, importância na construção da história. Deus utiliza cada um de nós para realizar sua obra aqui na terra. Somos parceiros, ajudantes de Deus. Acredito que Deus não vai se mover para fazer nada que esteja ao alcance das nossas mãos para fazer. Ele sim nos dá força para realizar muitas coisas aqui na terra.
Precisamos deixar a preguiça, o comodismo e a esperança de que as coisas vão acontecendo enquanto estamos de braços cruzados.
Que Deus nos abençoe com fé para acreditar que podemos fazer diferença neste mundo tão carente de ações boas. Acredite: o mover de uma de suas mãos pode ser responsável por uma grande transformação no outro lado do mundo e também dentro de sua casa.  

Lance as sementes e Deus dará o crescimento.

Rev. Hebert dos Santos Gonçalves