sábado, 18 de fevereiro de 2012

Festa da falsa felicidade


O carnaval é a maior festa popular brasileira. Patrocinada por recursos públicos e promovida pelas autoridades políticas, esta festa atrai milhões de turistas de todo o mundo. Carros alegóricos e desfiles cheios de pompa enchem as avenidas e os sambódromos das grandes cidades.
Escolas de samba e trios elétricos desfilam para o delírio de uma multidão sedenta de prazer. O carnaval é a festa das máscaras e do nudismo. É a festa da bebedeira e da embriaguez. O carnaval é o esforço inútil de o homem encontrar alegria onde só existem as cinzas da frustração. A alegria promovida pelo carnaval tem gosto de enxofre.
No palco dessa festa sacrifica-se a decência, estabelece-se a permissividade sem freios e conspira-se contra os valores que devem reger uma família digna. Embaladas por shows
alucinantes, multidões pulam e dançam, inspiradas por uma exultação mundana, as pessoas terminam essa festa com o coração mais vazio, com a alma mais aflita, com a certeza plena
do desgosto de Deus. O carnaval, de fato, é uma festa onde a alegria verdadeira não encontra espaço na passarela.

“E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito.”Ef 5.18

Deus de infinita misericórdia, que a tua boa mão esteja sobre aqueles que querem maquiar suas aflições com drogas, bebidas e sexo. Dá-lhes razão para viver em Cristo. Nele peço.