terça-feira, 10 de abril de 2012

Áudio MP3 dia 08/04/2012 (Manhã)



Série: Culto da Páscoa
Tema: Páscoa & Ressurreição
Texto: I Co 15.20-22
Pregador: Hebert dos Santos Gonçalves
http://www.box.com/s/9ff4acca1394b944224e 
Veja abaixo mais informações e o esboço usado






PASCOA & RESSURREIÇÃO

I Co 15:20-22

20 Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. 

21 Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. 
22 Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo. 


Páscoa mais uma data explorada indevidamente. 

O ovo de Páscoa com cerveja. É do tamanho de uma bola de pingue-pongue, é feito de chocolate trufado com recheio cremoso de cerveja.

Ovos recheados 
A comemoração da páscoa é algo central no cristianismo. 
Não comemoramos apenas um dia no ano no culto da ressurreição. 
Devemos comemorar todos os dias em nossos corações e como o povo de Israel que comemoravam sua libertação do Egito com a festa de páscoa comemoramos nossa libertação em Cristo na santa ceia.
A páscoa judaica pré-figurava a páscoa que viria na libertação em Cristo. 

Páscoa - verbo hebraico (pasah) passar por cima no sentido de poupar. Páscoa significa passagem (escravidão para liberdade). 

"Se, pois o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" Somos chamados para viver a páscoa, que é a passagem para a vida de libertação, a verdade de Cristo que nos conduz a Deus. Jo.8:32-36




1- A Ressurreição é um fato inquestionável.


1 Corinthians 15:20 20 Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. 

Somente neste capítulo 15 de I Coríntios encontramos várias afirmações sobre a ressurreição: 
v.5 - “E apareceu a Cefas e, depois, aos doze.” 
v.6 - “Depois, foi visto por mais de quinhentos irmãos de uma só vez, dos quais a maioria sobrevive até agora; porém alguns já dormem.” 
v.7 - “Depois, foi visto por Tiago, mais tarde, por todos os apóstolos.” 
v.8 - “e, afinal, depois de todos, foi visto também por mim, como por um nascido fora de tempo.”

Jesus, após ressuscitar, esteve com muitas pessoas por vários dias. Ele fez isso para que pudéssemos comprovar sua vitória sobre a morte. 

2- A Ressurreição de Cristo abre caminho para a nossa ressurreição.



Se em Adão estávamos mortos, em Cristo temos a vitória sobre a morte. 

v.20 “Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem.” 
v.21 “Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos.” 
v.22 “Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo” 

Todos os que são de Cristo vão ressuscitar na sua vinda (v.23). 
A ressurreição de Cristo torna possível a história de nossa ressurreição, quando nos alegramos com a ressurreição de Cristo nos alegramos por saber que também nós vamos ressuscitar. 

Você vai ressuscitar. Você pode ter certeza da sua ressurreição. A prova da ressurreição de Cristo comprova a nossa ressurreição. 
3- A Ressurreição de Cristo nos leva a uma nova vida

22 Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo. 
Paulo diz no final do v.32, BLH “se é verdade que os mortos não são ressuscitados, façamos o que diz o ditado: Comamos e bebamos porque amanhã morreremos. 

v.31 “Dia após dia, morro! Eu o protesto, irmãos, pela glória que tenho em vós outros, em Cristo Jesus, nosso Senhor.” 

Paulo, dá seu testemunho dizendo que pelo evangelho havia alterado totalmente sua forma de viver. Ele vivia tão intensamente o evangelho que sua vida corria perigo.
Ele está enfatizando a necessidade de mudança, conversão dos caminhos, pensamentos, palavras e atos que devemos praticar em nossa vida, se cremos na ressurreição. 

"Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida" (Rm 6.4).
"Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra" (Cl 3.1,2
"Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos: logo, todos morreram, E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou" (2 Co 5.14,15).


Conclusão


1 Coríntios 15:1-2 Irmãos, venho lembrar-vos o evangelho que vos anunciei, o qual recebestes e no qual ainda perseverais; 2 por ele também sois salvos, se retiverdes a palavra tal como vo-la preguei, a menos que tenhais crido em vão. 
Todos os dias é dia de lembrar do evangelho, hoje de forma especial vamos relembrar do evento histórico mais importante do calendário cristão, a ressurreição. 




Nasrudin e o ovo

Certa manhã, Nasrudin colocou um ovo embrulhado num lenço, foi para o meio da praça da sua cidade, e chamou aqueles que estavam ali.
- Hoje vamos ter um importante concurso! A quem descobrir o que está embrulhado neste lenço eu dou de presente o ovo que está dentro!
As pessoas se olharam, intrigadas, e responderam:
- Como podemos saber? Ninguém aqui é capaz de fazer esse tipo de previsões!
Nasrudin insistiu:
- O que está neste lenço tem um centro que é amarelo como uma gema, cercado de um líquido da cor da clara, que por sua vez está contido dentro de uma casca que se parte facilmente. É um símbolo de fertilidade, e lembra-nos dos pássaros que voam para seus ninhos. Então, quem é que me pode dizer o que está aqui escondido?
Todos os habitantes pensavam que Nasrudin tinha um ovo na sua mão, mas a resposta era tão óbvia, que ninguém quis passar vergonha diante dos outros.
E se não fosse um ovo, mas algo muito importante, produto da fértil imaginação mística dos sufis? Um centro amarelo podia significar algo do sol, o líquido em seu redor talvez fosse um preparado alquímico. Não, aquele louco estava a querer fazer alguém passar por ridículo.
Nasrudin perguntou mais duas vezes, e ninguém respondeu.
Então ele abriu o lenço e mostrou a todos o ovo.
- Todos vocês sabiam a resposta - afirmou. - E ninguém ousou responder.
"É assim a vida daqueles que não tem coragem de arriscar: as soluções são dadas generosamente por Deus, mas estas pessoas sempre procuram explicações mais complicadas, e terminam não fazendo nada."
Contos Sufi de Nasrudin



1 Coríntios 15:1-2 Irmãos, venho lembrar-vos o evangelho que vos anunciei, o qual recebestes e no qual ainda perseverais; 2 por ele também sois salvos, se retiverdes a palavra tal como vo-la preguei, a menos que tenhais crido em vão. 



Bem-aventurados os que não viram e creram
João 20:24
“24 Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus. 25 Disseram-lhe, então, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele respondeu: Se eu não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o dedo, e não puser a mão no seu lado, de modo algum acreditarei. 26 Passados oito dias, estavam outra vez ali reunidos os seus discípulos, e Tomé, com eles. Estando as portas trancadas, veio Jesus, pôs-se no meio e disse-lhes: Paz seja convosco! 27 E logo disse a Tomé: Põe aqui o dedo e vê as minhas mãos; chega também a mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. 28 Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! 29 Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram.” 

As palavras de Jesus no final do v.28 são palavras direcionadas a nós, Ele abençoa aquelas que mesmo sem vê-lo irão crer nas suas promessas através da leitura dos evangelhos. O vs. 30 diz que os sinais foram registrados para que nós pudéssemos crer que Jesus é o Cristo, o filho de Deus, e para que crendo, tenhais vida em seu nome.
Sabemos que a incredulidade não foi só de Tomé, as mulheres não creram na ressurreição pois se preparavam para cuidar do seu corpo, e chegaram a pensar que o corpo havia sido roubado, os discípulos a caminho de Emaus estavam transtornados pois suas esperanças de um messias estavam frustradas. Agostinho disse: “Eles não criam, apesar de já verem. Grande, pois, foi a honra a nós concedida por aquele que permitiu crêssemos no que não vemos! Nós cremos pelas palavras deles, ao passo que eles não criam em seus próprios olhos.” 



Firmeza inabalável




1 Co 15:57-58 57 Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo. 58 Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão. 

Não haverá sobrevivência religiosa se não houver firmeza. 
Daí a veemente exortação de Paulo: "Sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor" (1 Co 15. 58).

Só depois de discorrer empolgadamente sobre a ressurreição de Jesus e a decorrente ressurreição dos mortos, só depois de demonstrar que a morte foi tragada pela vitória ou absorvida na vitória de Jesus, é que Paulo dirige seu apelo aos coríntios: 
“Portanto, meus amados irmãos, mantenham-se firmes, e que nada os abale” (1 Co 15.58, NVI).

O apóstolo havia acabado de dissecar o tema da ressurreição, de demonstrar a ressurreição de Jesus, de cimentar a ressurreição dos mortos com a ressurreição de Jesus, de declarar que Jesus está colocando debaixo de seus pés todas as estruturas malignas e todos os responsáveis por elas, de explicar a natureza do novo corpo ressuscitado, de lembrar que os que estiverem vivos por ocasião da vinda de Jesus terão seus corpos subitamente transformados e de declarar a vitória espetacular de Jesus sobre a morte.

Essa última informação é rica demais: "A morte foi absorvida na vitória" (tradução de A Bíblia de Jerusalém). 

Em outras palavras, a morte foi chupada, exaurida, esgotada, consumida, engolida, arrebatada na vitória de Jesus. 

Ora, depois de todas essas lembranças, Paulo, então, conclama: "Assim, irmãos bem-amados, sede firmes, inabaláveis, fazei incessantes progressos na obra do Senhor, cientes de que a vossa fadiga não é vã no Senhor".

Sem firmeza ninguém suporta a pressão da carne, a pressão do curso deste mundo e a pressão do diabo. Sem firmeza ninguém suporta a provação, a provocação e a tentação. 
Sem firmeza ninguém suporta certas circunstâncias, certos acontecimentos e certos lugares. Sem firmeza ninguém suporta a dor, a doença e a morte. 
Sem firmeza ninguém suporta a tristeza, a depressão e o estresse. 
Sem firmeza ninguém suporta o vazio, a solidão e a saudade. 
Sem firmeza ninguém suporta o imprevisto, o revés e a ruína. 
Sem firmeza ninguém suporta a indiferença alheia, o desamor e o ódio. 
Sem firmeza ninguém suporta a crise da adolescência, a crise da maioridade e a crise da terceira idade. 
Sem firmeza ninguém suporta a falta de emprego, a falta de dinheiro e a falta de comida.
A ausência de firmeza explica o abandono da fé, o abandono da esperança, o abandono do entusiasmo e o abandono do compromisso evangélico da parte de não poucos cristãos, depois de um razoável período de fidelidade a Cristo. 
É como cantamos: "Quantos, que corriam bem,/ De ti longe agora vão!/ Outros seguem, mas também/ Sem calor vivendo estão".
Sem firmeza a fé não consegue desafiar o tempo. O tempo é a maior prova da autenticidade e da firmeza da fé. 

1 Co 15:57-58 57 Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo. 58 Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão.