sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Desculpa


Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal; vivam como servos de Deus - I Pedro 2.16 (leia também Lucas 14:15-24)

Um grande banquete foi oferecido por um importante homem. Os convidados aceitaram o convite e depois começaram a desculpar-se. 

Primeiro o perito em imóveis justifica-se, dizendo: Comprei um campo e preciso ir vê-lo. Hoje até se compra muita coisa pela internet sem ver, mas naquele tempo ninguém comprava um campo sem conhecer todos os detalhes pessoalmente. 
Depois vem o arador perito que justifica-se dizendo: Comprei cinco juntas de boi e vou experimentá-las, peço-te que me desculpes. Mais uma vez a desculpa é ridícula. Os compradores sempre vão ao campo do vendedor para ver os animais trabalhando para ter certeza da sua força e de que puxam em harmonia. 
Também o noivo aparece dizendo: Casei-me com uma noiva e portanto não posso ir. Ele usa como desculpa estar ocupado com sua mulher quando os homens nem mencionavam suas mulheres publicamente. 
Desta história tão rica de significados podemos ver claramente a gravidade do problema das desculpas. Ela começa na insinceridade do compromisso. Todos aceitaram um compromisso antecipado. Deveriam ter pensado antes de aceitar. 
Pode ser que aceitaram somente para não fazer desfeita para quem estava convidando, mas deveriam saber que não ir depois de aceitar é uma desfeita maior e não ir dando uma desculpa fraca e mentirosa é uma desfeita ainda pior. Muitas desculpas são mentiras descaradas. Toda desculpa falsa é um insulto intencional. Toda desculpa é uma afirmação de maior importância da sua vontade. 
Nesta história sai perdendo não quem convidou, mas o convidado que não respondeu ao convite. Ele foi excluído do grande banquete. Após ouvir estas declarações o dono da casa convida a todos os outros, pobres, aleijados, cegos, que participaram da festa. 
Quem se ocupa apenas com as coisas deste mundo, não tendo tempo para os convites de Jesus, está rejeitando o grande banquete da salvação. 

Não viva a se desculpar, mas ocupe-se com compromisso nos caminhos de Deus. 

Rev. Hebert dos Santos Gonçalves