quarta-feira, 6 de março de 2013

BENDITO SEJA O DEUS QUE NÃO RESPONDE ORAÇÕES


Por  Luiz A. T. Sayão
Talvez o amigo leitor jamais poderia esperar que um cristão evangélico dissesse palavras tão absurdas e à beira da heresia como essas. Como se pode afirmar um disparate desse, se durante milênios o povo de Deus tem proclamado em alto e bom som que Deus responde as orações. Apesar de parecer simples, talvez a oração seja uma das áreas da vida cristã mais difíceis de entender. Quando olhamos para o que Jesus nos diz em Mateus 6.8 "porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais" sentimo-nos pouco estimulados a orar. O raciocínio é muito simples: Deus já conhece minhas necessidades e tem todo o poder para atendê-las, por outro lado, eu mesmo, além de não conhecer de fato minhas próprias necessidades ainda corro o grande risco de nem saber fazer pedidos a Deus corretamente (Tg 4.3; Rm 8.26).
A conclusão prática na vida de muita gente é simplesmente um desencorajamento na vida de oração. É muito possível que a nossa expectativa sobre a oração esteja equivocada. Como meninos malcriados, pensamos em orar com intenções egoístas. Procuramos a Deus para resolver nossos problemas e atingir nossos sonhos, muitas vezes alinhados com os valores desse mundo. Ao contrário do que muitos pensam, a grande bênção da oração não está nas mudanças miraculosas que Deus pode fazer. Não! A principal finalidade da oração é mudar a nós mesmos. Deus quer que o procuremos em oração, mesmo que isso pareça desnecessário, pelo menos por três razões:
1. Para que cresçamos em comunhão pessoal com Deus e o conheçamos
2. Para que aprendamos a depender de Deus, humilhando-nos diante de dele
3. Para que tenhamos o privilégio de sermos o instrumento usado por Deus em sua obra
Infelizmente pensamos na oração como um meio mais rápido de alcançarmos o que queremos. Todavia, Deus deseja que através da oração e da comunhão mais profunda com ele, tenhamos nossa principal necessidade atendida: a mudança de valores. Antigamente eu orava para alcançar coisas, obter felicidade imediata e livrar-me da dor; agora, trabalhado por Deus começo a orar a oração que Cristo faria; os meus desejos são trocados pelos desejos de Deus. É exatamente por causa disso que a bondade esplêndida e maravilhosa de Deus não permite que ele atenda a todas as nossas orações. Isso seria tornar um filho mimado e malcriado. Muitas vezes Deus não nos ouve, porque não deve ouvir mesmo. Às vezes fazemos pedidos egoístas (Tg 4.3), insistimos em pedidos que não nos farão bem (Sl 106.15), e ficamos chateados com a demora de Deus que muitas vezes ocorre (Lc 18). Todavia, o Deus poderoso, que faz coisas extraordinárias por meio da oração de cada um de nós (Tg 5.17,18), em seu amor e infinita sabedoria resolve não responder aos nossos pedidos. Diante disso, só podemos dizer: Bendito seja o Deus que não responde orações que não devem ser respondidas.