sábado, 21 de junho de 2014

Andemos na luz

Salmo 73

Vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo (II Pedro 1:4)  
Estamos presenciando um momento em que a corrupção está sendo mostrada pelos holofotes dos jornais, revistas, televisão. Nas conversas das pessoas aparecem nomes pouco conhecidos de corruptos que agora até dão autógrafo. Algumas frases em tom de brincadeira estão desmoralizando os governantes de nosso país, como esta que diz: “Existem os corruptos culpados e os corruptos inocentes.”
Será que a corrupção e a injustiça é uma coisa nova?
Infelizmente não. O que está acontecendo, é a chamada “bola da vez”. A mídia precisa de uma matéria que desperte a curiosidade das pessoas. Por exemplo: quando um filho assassina seu pai, o assunto da semana e até do mês, vai ser: “filhos que assassinam pais”. Aí vão aparecer diversos casos noticiados, pois é interessante para os meios de comunicação divulgar o assunto da vez. Agora é a vez da corrupção ficar em evidência. Estão aparecendo e vão aparecer vários casos, muitos depoimentos, pessoas estarão a denunciar. Depois de alguns meses vão surgir outros assuntos, assim a corrupção ficará esquecida e voltará a ser escondida.
Não podemos utilizar deste momento apenas para criticar pessoas corruptas e para justificar nossos pequenos delitos, aceitando a ideia de que os corruptos sempre ficam impunes. Rui Barbosa disse em 1917:  “De  tanto ver triunfar as NULIDADES, de tanto ver  prosperar a DESONRA, de  tanto  ver  crescer  a INJUSTIÇA, de tanto ver  agigantar-se o poder nas mãos DOS MAUS, o homem chega a RIR-SE da honra, DESANIMAR-SE  da  justiça, e TER VERGONHA de ser honesto!”
Diante de tantas notícias de corrupção devemos dizer bem alto: Não é a vez da corrupção. Esse momento deve ser aproveitado com uma reflexão pessoal, refletindo sobre o quanto cedemos ao erro, e também é ocasião para orarmos por tantas pessoas envolvidas na miserável corrupção.  


A vida exige sacrifício, não cedendo às tentações da maldade.

Rev. Hebert dos Santos Gonçalves