quarta-feira, 11 de maio de 2016

Motive a ação

Eclesiastes 9.10 

Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens (Cl 3.23) 

Como temos usado o nosso tempo? Será que não o estamos desperdiçando ou usando de forma errada? Todos dispõem do mesmo tempo, mas alguns conseguem produzir mais coisas porque aprenderam como utilizá-lo melhor.
Todavia, maior do que o problema de não se saber o que fazer é não ter motivação para fazer. Geralmente sabemos o que deve ser feito, o que nos falta é vontade de fazer. Algumas vezes ficamos travados diante de pequenas ações por falta de motivação. Enquanto isso, sobra vontade para fazer o que não deveríamos. É importante saber que não devemos nos guiar por sentimentos. Quase sempre eles vão nos levar ao desastre pessoal. Nossas vontades serão sempre de dormir mais, comer mais, fazer menos. É preciso agir mesmo sem vontade. Depois que começamos alguma coisa, a motivação aparece. E quando estamos motivados, difícil é parar de fazer. Também encontramos motivação quando olhamos para o resultado que nossa ação terá, em lugar de olharmos para as suas dificuldades. Não devemos pensar no esforço da subida de uma montanha e sim na beleza da paisagem de seu ponto mais alto; pensar na alegria e na facilidade que teremos na volta. 
O texto de Eclesiastes diz que o tempo que temos é agora. “O que tiverem que fazer, que o façam”. Não é sábio deixar para amanhã. Economia de tempo é diferente de economia de dinheiro. Economizamos tempo gastando. O texto também diz que devemos fazer conforme as nossas forças. Não é nossa obrigação realizar algo além das nossas forças. Não se exige de nós a perfeição, mas dedicação. Quando fazemos algo correto, antes de estar agradando alguém agradamos a Deus. O filho que honra o pai, o funcionário que respeita seu patrão, o casal que vive bem estão servindo primeiro a Deus. Isso é o que mais nos deve motivar - saber que estamos fazendo algo para Deus.

O que você vai fazer hoje?
E como, quando e, principalmente, por quê?