sexta-feira, 27 de maio de 2016

O que é a vida?

Tiago 4.13-17

Deste aos meus dias o comprimento de um palmo; a duração da minha vida é nada diante de ti. De fato, o homem não passa de um sopro (Sl 39.5).

Definir a palavra vida parece fácil. Podemos dizer que vida é respiração, o bater do coração, a paz, o amor e o perdão. Que vida é comer, beber e se divertir. O dicionário define vida como atividade constante, existência. Mas, o que é a vida? A melhor definição que encontrei está em Tiago 4.14: a vida é um vapor que aparece por um pouco e logo se desvanece.
O texto chama a atenção daqueles que vivem fazendo planos como se fossem donos de si mesmos. O ensino de Tiago reforça a necessidade de, sempre, antes de qualquer decisão, acrescentarmos as palavras “se o Senhor quiser”. Se Deus quiser, faremos isto ou aquilo; se Deus nos quiser vivos, teremos uma atividade constante. 
Sabendo que a vida é muito breve, resta-nos viver como Paulo ensina em 1 Coríntios 7.29-31: “O tempo é curto. De agora em diante, aqueles que têm esposa, vivam como se não tivessem; aqueles que choram, como se não chorassem; os que estão felizes, como se não estivessem; os que compram algo, como se nada possuíssem; os que usam as coisas do mundo, como se não as usassem; porque a forma presente deste mundo está passando”. 
Não devemos amar a vida mais do que a Deus. Tudo o que fazemos deve ser feito diante dele. A vida deve ser vivida, mas precisamos ter a consciência de que toda atividade humana um dia vai cessar. Mais importante é nossa fé. A graça de Deus é melhor do que a vida. 
Nossa esperança não pode se fixar neste corpo corruptível, mas na promessa de vitória sobre a morte na ressurreição. Nossa alegria está baseada na promessa de Jesus em João 11.26: “Quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Você crê nisso?”. 

Minha esperança está em ti, Senhor!