sábado, 11 de junho de 2016

Perdão na família

Gênesis 45.1-13

Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem (Rm 12.21).

Deus criou a família para que seja um refúgio de paz, alegria e equilíbrio em meio à angústia, desesperança e confusão da sociedade em que vivemos. Entretanto, várias ameaças colocam em risco a harmonia da família. É importante meditar no ensino bíblico do perdão na família; mais importante ainda é vivê-lo.
 O perdão é uma necessidade no relacionamento familiar. Não é novidade para ninguém que toda família tem problemas. Por mais graves que possam ser os erros que os membros da família possam cometer uns contra os outros, o perdão continua a ser uma necessidade. Enquanto esta não for satisfeita, a situação só piorará. O tempo não é capaz de resolver muitos problemas que surgem entre parentes. Só o perdão é capaz de fazê-lo. Pedir, dar e aceitar o perdão é uma necessidade vital para a saúde emocional, espiritual (e até física) de qualquer família.
 Uma família só pode ser sustentada pelo amor. Quem ama procura fazer algo em favor do outro. A história bíblica de José no Egito traz um grande exemplo. José revelou um amor autêntico aos seus familiares, concedeu o perdão, promovendo assim a união familiar e oferecendo recursos para a sobrevivência dos seus queridos. Se não estamos vivendo bem em família, precisamos analisar onde ficou o primeiro amor. Fazendo um resgate do amor, será fácil perdoar.
No lar, todos precisam sentir-se à vontade. Cada um deve ter espaço para compartilhar seus problemas, resolver suas dúvidas, falar das suas necessidades, comemorar suas vitórias. É preciso aprender a respeitar as diferenças, evitando agressões verbais. Devemos aprender a ouvir. Não podemos julgar antes de saber qual foi o motivo de um ato que nos desagradou ou de uma palavra que nos feriu. Precisamos resgatar uma comunicação amorosa, uma palavra branda que desvia o furor. 


A comunicação favorece o perdão.